Como começar um escritório de advocacia com pouco investimento

O sonho e o objetivo de um advogado recém-formado é trabalhar com independência e liberdade, montando o seu próprio escritório. Para tornar o sonho realidade, o novo advogado precisa fazer um planejamento, verificando a viabilidade do negócio.

É claro que, também com o planejamento, o novo advogado deve ter o dinheiro necessário para o investimento e, caso não tenha, deve ir atrás de um financiamento dentro de suas possibilidades – levando tudo em conta e colocando tudo no papel, verificando quais serão os custos reais necessários para a montagem e manutenção de seu escritório de advocacia.

Não se pode, evidentemente, estabelecer, dentro do planejamento os valores reais, uma vez que existem custos fixos e variáveis. Porém é necessário que tenha em mãos todos os custos, para que verifique a possibilidade de manter-se enquanto não aparecem os primeiros clientes.

Planejamento para começar o escritório de advocacia

Uma ferramenta utilizada em todas as empresas é o plano de negócio, que pode ajudar o novo advogado a fazer a descrição do seu escritório e criar estratégias operacionais, projetando resultados financeiros.

Para um escritório de advocacia, a elaboração do plano de negócio deve levar em conta algumas questões, como a localização do escritório, a quantidade de pessoas que estarão trabalhando, o mercado em que irá atuar, o estabelecimento de estratégias de prospecção de clientes e de divulgação do escritório, além, é claro, do conhecimento sobre advogados que atuam na mesma área e que, portanto, tornam-se concorrentes.

Possuindo todos os elementos em mãos, o novo advogado terá condições de saber qual o valor do investimento necessário para tornar o seu escritório de advocacia algo concreto.

Investimentos necessários para montar o escritório de advocacia

Tendo em mãos todo o planejamento, é hora de começar a pensar no investimento, como a locação da sala, a compra dos móveis e equipamentos e a contratação de pessoas (no mínimo, uma secretária, se não houver um sócio para o escritório e o advogado estiver no início de carreira, com poucos clientes).

A ideia de montar um escritório de advocacia compartilhado com outro advogado autônomo não deve ser descartada, já que, em início de carreira, os custos poderão ser também compartilhados, reduzindo o nível do investimento.

Também não pode ser descartada a hipótese de comprar em lojas especializadas em móveis usados, que terão um custo bem menor do que os novos e que apresentam a mesma qualidade, muitos com garantia da loja vendedora.

Capital de giro para começar o escritório de advocacia

O novo advogado também deve pensar no capital de giro necessário para manter o escritório de advocacia nos primeiros meses e, na maior parte dos casos, é exatamente isso o que mais interfere.

Caso não tenha um capital acumulado para atender as primeiras necessidades, enquanto o escritório de advocacia se estabilize, o novo advogado deve pensar num financiamento para os custos iniciais, ou a manutenção de uma conta com limite de crédito, que poderá ser usado em caso de necessidade.

A correspondência jurídica é uma excelente forma de possuir um capital de giro no escritório, uma vez que traz um retorno rápido para o jovem advogado e ainda lhe proporciona muita experiência.

Cadastre-se no Jurídico Correspondentes agora mesmo e desfrute dessas vantagens!

By | 2016-03-31T16:12:10+00:00 31 de março de 2016|

2 Comments

  1. Anne Silveira 20 de abril de 2016 at 23:54 - Reply

    Os artigos sempre tratam de assuntos do dia a dia do advogado empreendedor! Parabéns equipe do Jurídico Correspondentes!

  2. Adriano 5 de abril de 2016 at 09:47 - Reply

    Excelentes dicas

Leave A Comment