5 cuidados que você deve tomar na correspondência jurídica

Tempo de leitura: 2 minutos

A atividade de correspondência jurídica tem se ampliado muito nos últimos anos, dadas às facilidades proporcionadas principalmente pela internet. Como não é possível atuar em todas as comarcas, os grandes escritórios costumam terceirizar os serviços contratados, repassando processos para um correspondente.

Atuar na correspondência jurídica exige alguns cuidados, para que o advogado mantenha o seu prestígio e tenha sempre contratos, já que se trata de uma boa forma de conseguir renda para sua profissão.

Veja cinco cuidados que você deve tomar atuando na correspondência jurídica:

1. Informar o contratante sobre a “cultura local”

Sempre que pegar um novo contrato, o advogado deve analisá-lo com cuidado e, se necessário informar sobre as diferenças locais existentes, caso haja necessidade agir de forma diferenciada. Uma atuação solicitada pode ser alterada na correspondência jurídica, e isso precisa ser informado ao contratante.

2. Não manter contato direto com o cliente

Na correspondência jurídica, os contatos do advogado devem ser feitos exclusivamente com o contratante, não havendo o direito de atuar diretamente com o cliente. Esse relacionamento só pode ser mantido com a autorização do advogado ou do escritório contratante.

3. Cuidado com erros e prazos

Na correspondência jurídica, o advogado contratado se torna o responsável direto pelos acertos nos processos e pelo cumprimento de prazos. Muita atenção nisso!

4. Ser responsável em sua atividade

O advogado contratado na correspondência jurídica torna-se responsável pessoalmente pelo processo que lhe foi confiado. Sua atitude com o contratante deve ser a mesma que ele tem com seus próprios clientes, respondendo diretamente caso haja algum erro no processo.

5. Manter-se atualizado

Da mesma maneira que em qualquer outra profissão, o advogado deve se manter atualizado, principalmente se estiver atuando na correspondência jurídica. Conhecer e estar a par da legislação pertinente às áreas em que está trabalhando, estudar a jurisprudência e acompanhar processos similares dará ao correspondente jurídico o conhecimento necessário para atuar em sua profissão.

A correspondência jurídica é um dos melhores meios para um advogado começar a carreira, desde que se mostre responsável e seja merecedor de confiança.

E você, tem outras dicas para os colegas correspondentes? Clique aqui e comente.

8 Comentários


  1. Até o momento tenho recebido propostas que estão aquém do que a nossa própria categoria sugere.
    Os valores que se encontram na tabela da Oab, são leiloados por colegas de profissão chegado ao patamar de menos de 1/3.
    Algo inacreditável esse tipo de proposta de um colega que estudou tanto quanto vc se prestar a tamanha façanha. Até o momento não atendi nenhuma demanda, pois fazer audiência pelo valor de r$ 80,00 a 100,00 e com processo físico é impraticável. Acompanhe a tabela de sua OAB, sejamos justos com nós mesmos.

    Responder

  2. Sugiro acrescentar a seguinte dica:

    Não aceite honorários aviltantes, pois se assim o fizer, estará se desvalorizando profissionalmente, pois o advogado que aceita receber migalhas que as vezes não cobrem nem as despesas com locomoção, demonstra o desespero em que se encontra com a falta de clientes. Lute pela valorização de seus honorários.

    Responder

    1. Parabéns, Dr Alexandre!
      Já perdi muitos honorários por cobrar o mínimo previsto na tabela da OAB para realizar audiências e acharem caro!
      Não advogo de graça. Procuro observar atentamente os valores mínimos estabelecidos pela tabela da ordem. A classe deve se valorizar.
      Abs

      Responder

  3. Achei importante as informações e concordo plenamente.
    entendo que o advogado correspondente deve ser um profissional comprometido com o seu cliente e com ele próprio.

    Responder

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *