O que um correspondente pode aprender com a crise política do Brasil?

Tempo de leitura: 2 minutos

A crise política no Brasil dá margens a muitas interpretações e, infelizmente, não temos uma grande massa preocupada em mobilizar as forças para melhoria do nosso sistema de governo. A maior parte da população engajada vive mais com a tendência de defender personalidades do que propriamente um sistema.

Diante desse fato, em primeiro lugar, devemos aprender a não criar um envolvimento direto com a política, desenvolvendo nosso senso crítico de maneira que possamos analisar os fatos, sem defender bandeiras ou ideologias.

Vivemos diante de uma situação criada pela falta de conhecimento da própria população que, infelizmente, ainda não sabe escolher seus próprios governantes. Se pedirmos a um eleitor que nos diga em que deputado ou senador votou nas últimas eleições, poucos deles saberão dizer. Se perguntarmos sobre partidos, a mínima quantidade saberá o que pregam e defendem.

Não somos um país dividido

Nos últimos anos, o que tem contribuído em parte para o envolvimento do grande público nos acontecimentos políticos tem sido a internet, através das redes sociais, criando um despertar trágico, onde se percebeu que o governo quebrou a confiança nele depositada, o que gerou um contingente de defensores e atacantes, trocando farpas pelas redes sociais, quando vemos que as forças deveriam ser dirigidas para outro alvo, ou seja, para a manipulação criada pelo poder para manobra do pensamento da população.

Essa manipulação criou uma polarização que chega a desmanchar amizades, tornando praticamente impossível o diálogo, uma situação que, na verdade, interessa apenas a quem está lutando pelo poder. Em vez de discussão de propostas, as pessoas declaram seus ódios, o que cria uma situação que não consegue encontrar uma solução pacífica.

O principal ponto que um correspondente jurídico pode aprender com a situação política que vemos no Brasil, em todos os âmbitos, seja no poder constituído, seja na população, é a necessidade de enxergar todos os lados da situação. Não estamos vivendo num país onde existem os vermelhos e os verde-amarelos: vivemos num país onde existem diversas linhas de pensamento.

O advogado é um dos principais personagens dentro de um cenário grandioso: sua percepção dos diferentes lados de qualquer situação deve prevalecer sobre ideologias e bandeiras.

E você, o que pensa sobre o papel do advogado dentro da crise política do Brasil? Clique aqui e deixe sua opinião.

2 Comentários


  1. Nós temos o múnus publicum, dever de proteger a Constituição Federal e os que e, quem ela Proteja.

    Responder

  2. O papel do advogado dentro da crise política do Brasil é sempre levar em consideração na sua prática advocaticia o artigo 5 da constituição Federal que é todos são iguais perante a lei, pois precisamos praticar e educar a população para viver a democracia.

    Responder

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *