É possível viver apenas da correspondência jurídica?

Tempo de leitura: 2 minutos

A correspondência jurídica é uma atividade que vem crescendo nos últimos anos. Principalmente com a multiplicação de sites para o intercâmbio entre escritórios e profissionais que se dedicam a esse serviço. O Jurídico Certo é um dos principais nesta área.

O intuito da correspondência jurídica é facilitar o trabalho de escritórios que possuam maior volume de processos e que estão localizados longe das comarcas onde é necessário fazer a diligência. Como correspondentes jurídicos, advogados que possuem estrutura física próxima ao local desejado torna as diligências muito mais práticas e econômicas.

Um dos grandes problemas ainda enfrentados pela correspondência jurídica é o aviltamento de honorários. Muitas vezes surgem empresas que querem pagar menos pelo trabalho de correspondente, criando tabelas com preços previamente fixados para cada diligência que não correspondem ao que a OAB indica. Alguns sites apresentam tabelas com preços que chegam a ser vergonhosos.

No entanto, o serviço de correspondência jurídica é bastante proveitoso para o profissional de Direito. Para isso, basta que sejam evitados os pontos negativos, criando novos métodos de trabalho e de cobrança de honorários.

Vale a pena o trabalho de correspondência jurídica?

O trabalho de correspondência jurídica vale a pena sim, desde que as negociações sejam feitas com valor justo e com pagamento feito de forma mais acelerada. Um advogado, quando mostra eficiência, certamente será procurado novamente ou indicado para outros escritórios.

Se um advogado começa a trabalhar com preços condizentes e que, com o tempo, vá formando uma cartela de clientes fixos, a correspondência jurídica traz um retorno satisfatório.

Mas esse retorno deve ser visto como renda extra, e não como rendimentos principais. Para um bom advogado, não há motivo de recusar todo e qualquer processo que possa contratar. Em sua própria cidade, atendendo seus próprios clientes diretamente e conduzindo seus próprios processos, fortalecendo sua carreira independente.

O trabalho como correspondente jurídico é uma forma de crescimento dentro da carreira, possibilitando conhecer diversas áreas do Direito. Um advogado que trabalha nessa atividade deve olhar para a correspondência jurídica como uma forma de aprender enquanto trabalha, ganhando para isso e mantendo, ao mesmo tempo, sua própria atividade.

17 Comentários


  1. A realidade é muito mais séria do que parece. Existe ainda o simples estudante de direito que se autointitula “estagiário”, sem qualquer registro no órgão de classe, outros, estágios (com ou sem cadastro), advogados recém formados… que aceitam qualquer valor para fazer diligência (R$ 10, R$ 15, R$ 20,00 reais … para atos). Uns acreditam estar levando vantagem. Outros se sentem “iludidos pela promessa de contratação para diligências em massa”, onde supostamente ganhariam no volume de cumprimento das mesmas. Esquecem que DESVALORIZAM A PROFISSÃO, e, amanhã, estarão obrigados a praticarem valores aviltantes de honorários por conta desta “prostituição” do aceite/oferta de propostas desonradas e deprimentes praticadas sem responsabilidade e comprometimento no passado. Advogar não é para forasteiros… tudo tem seu custo, que está longe, longe de ser baixo. Tal conduta destrói qualquer profissão: os pseudoprofissionais da área que não enxergam além do próprio antolho. Todos os outros pagam o preço. Alto preço.

    Responder

  2. Onde encontro esta tabela de preços?
    Já até liguei na OAB de minha cidade e me informaram que não têm essa tabela de preços de correspondência.

    Responder

    1. Claro que existe. Na última página da Tabela de Honorários (OAB), montada pelo órgão estadual de classe e distribuída aos advogados em situação regular com o mesmo. Procure o órgão de classe do seu Estado se a sua seccional não soube informá-lo à respeito.

      Responder

  3. Bela Matéria Parabéns!
    Nos advogados temos que nos unir e não aceitar estes honorários que chegam a ser humilhantes, as vezes querem pagar 15,00 ou 25,00 por copia integral de processos de 300 a 500 paginas.
    Nem o motoboy faz uma corrida por tal preço, portanto não devemos aceitar este tipo de empresas que querem escravizar a classe!
    Vamos dizer não para estes tipo de pessoas e empresas!

    Responder

    1. Cobrar é uma coisa. Aceitar é outra. Pior do que quem cobra esse valor, é o profissional que aceita e faz a diligência. O quem tem destruído o mercado de correspondência são os estudantes, estagiários e advogados antiéticos e desqualificados que aceitam tais valores. Grande tiro no pé para si e para toda a classe de profissionais que atuam na área.

      Responder

  4. Quando todos os advogados praticarem a tabela, terá um fim a exploração. Precisamos nos unir, pois precisam do nosso trabalho.

    Responder

    1. É isso, gente, temos colegas que desvalorizam seu trabalho, cobrando qualquer valor sem respeitar tabelas, desvalorizando, assim, toda a categoria.

      Responder

  5. Muito boa a matéria acima descrita, concordo em tudo o que foi dito, principalmente pelos honorários.
    Sou correspondente a mais de 6 anos, e muitas vezes deixo de fazer um trabalho pelo valor ofertado. Realmente chega a ser vergonhoso, afinal estudei, sou inscrita na OAB e tem escritórios que não se intimidam em oferecer certos valores.
    O site Jurídico Certo, é um que dá abertura aos escritórios que não querem pagar pelos serviços de correspondente, senti como se estivesse em um leilão, só que ao contrário, quem dá menos leva.
    Poderiam rever o modelo do site, trabalhando de uma maneira para que não permitam essa especulação.
    A solicitação deveria ser feita direta a pessoa cadastrada no site, e não ficar aguardando todos os correspondentes receberem e responderem as solicitações com os valores cobrado.
    Me cadastrei, mas quando vi que é dessa maneira cancelei meu cadastro, porque além de não concordar com esse sistema, não gasto meu tempo, minha gasolina, e tudo que é gasto em um carro para fazer uma diligência no valor de R$ 20,00.
    Fica aqui meu desabafo e protesto, com a esperança de melhora nesse sentido, para que as coisas fluam de maneira honesta e correta para ambos os lados, escritórios contratantes e correspondentes.

    Responder

    1. Muito bem colocado, Regina Lúcia.

      É certo que a atividade de correspondência jurídica é uma boa oportunidade para ampliar a rede de contatos e conhecer novas áreas.

      Por outro lado, é importante lembrarmos da lei da oferta e procura, isto é, se há alguém oferecendo pouco dinheiro pelo trabalho a ser exercido, é porque há quem se sujeite a tanto.

      No que diz respeito aos profissionais que aceitam realizar determinado serviço por uma quantia “simbólica”, somente resta o lamento, pois alguns não se importam em receber pouco por se tratar de uma renda extra, entretanto, não levam em consideração que existem pessoas que cobram um preço relativamente razoável, e são, automaticamente, punidos pelos que se sujeitam a preços módicos.

      Quanto aos escritórios que solicitam um correspondente mediante contraprestação barata, enriquecem ilicitamente quando assim o faz.

      Sugiro que tenhamos respeito pela nossa profissão e pela sociedade.

      Responder

    2. Pelo seu comentário desisti de me inscrever!
      Nas publicações de artigo uma advogada colocou a sua tabela de honorários desrespeitando até a tabela da OAB!! Uma vergonha!
      Espero um site com valorização da nossa profissão e não como leilão!
      Obrigada por compartilhar a sua opinião!

      Responder

  6. Hoje em dia a atuação de correspondentes é imprescindível ao exercício da advocacia. No entanto a questão dos honorários é sempre difícil, seja de valores justos, seja quando do recebimento da diligência. Entendo que a OAB poderia sugerir uma tabela de honorários específicas para este serviço.

    Responder

  7. Bela matéria. Trabalho como correspondente jurídico, e um dos maiores problemas é a demora no pagamento da diligência, e a incerteza de recebê-los. Mas há exceções, que são escritórios de advocacia que pagam pelas diligências com rapidez.

    Responder

  8. O grande problema que tenho enfrentado está no valor dos honorários. Um absurdo um advogado receber $60,00 para realizar audiência e ainda não ser reembolsado das despesas com a impressão da documentação a ser levada para audiência.

    Responder

  9. O problema da minha região é que os que estão inscritos nos sites de busca andam fazendo um valor muito baixo pela diligências.

    Responder

  10. Parabéns pelo texto. É de bom alvitres que todos os Operadores do Direito cumpram o EOAB devendo fazer prevalecer ao contido na Tabela de sua Subseção, evitando assim a exploração mercadológica.
    Se agirem desta forma será o fim dos valores ínfimos oferecidos na maioria das contratações.

    Responder

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *