5 dicas para se dar bem na primeira audiência

Tempo de leitura: 4 minutos

Nunca uma audiência será igual à outra, mesmo havendo o conjunto de atos processuais específicos. Cada caso se apresenta de forma diferente!

Para se dar bem na primeira audiência, o advogado precisa estar bem preparado, seja com relação à legislação ou com relação ao conhecimento do caso, podendo transmitir a credibilidade necessária ao se dirigir ao juiz ou à parte contrária.

Os cuidados do advogado é que poderão definir o rumo do processo, além, evidentemente, de mostrar segurança ao seu cliente que, como a maior parte das pessoas, não está acostumado com situações desse tipo.

Saber como se comportar na primeira audiência é um dos grandes problemas para advogados em início de carreira ou para os que ainda não enfrentaram esse momento por estarem envolvidos apenas com trabalhos burocráticos.

Para conseguir bons resultados na primeira audiência, o advogado precisa conhecer todo um conjunto de regras que, se não forem respeitadas, podem resultar em situações de constrangimento para ele próprio e para seu cliente.

Para o advogado recém-formado ou que ainda não tenha se envolvido com os trâmites das salas de audiência, não deve haver maiores preocupações. Mesmo advogados que já estão acostumados, muitas vezes sentem o temido “frio na barriga” na hora de falar com o juiz ou com o advogado da parte contrária.

Vamos conhecer alguns detalhes que são importantes para quem está participando de sua primeira audiência. Os detalhes que devem ser observados podem ser vistos a seguir:

1. Pontualidade

Mantendo a pontualidade, o advogado terá mais condições de se preparar para a primeira audiência. Ao ser convocado para a sala de audiência, é importante saber o seu lugar à mesa, acompanhado do cliente, indicando o local onde ele deverá se sentar.

2. Posições na sala de audiência

É preciso ter atenção com relação ao lugar certo na sala de audiência. Para audiências de conciliação ou de instrução de julgamento, o advogado do autor senta-se à direita do juiz. No entanto, nas audiências trabalhistas, a posição é invertida.

No caso de ter alguma dúvida com relação à posição, não é preciso ficar preocupado: basta esperar que o advogado da parte contrária ocupe o seu lugar, indo ao seu no lado contrário da mesa.

3. Vestuário

Nas audiências, o advogado deve se vestir de acordo com a formalidade que sua profissão exige, com roupas sóbrias, dentro do respeito à moral e aos bons costumes.

4. Linguagem

Na audiência, o advogado nunca deve usar gírias ou expressões não técnicas, evitando também palavras de baixo calão enquanto estiver na frente do juiz ou do advogado contrário. O cliente deve ser preparado para fazer o mesmo.

5. Credibilidade

Para apresentar qualquer argumentação, o advogado deve ter conhecimento do processo e da legislação. Sempre que for argumentar, o profissional deve agir de forma a transmitir credibilidade, embasando sua fala em pareceres jurídicos, não deixando que a parte contrária apresente qualquer tipo de contestação.

Portanto, a preparação para a audiência deve ser feita com muito cuidado, prestando atenção em todos os detalhes e buscando alternativas para que, no caso de uma contestação da parte contrária, conseguir suplantar qualquer tipo de argumento.

Conclusão

Mantendo as boas práticas e prestando atenção aos detalhes, o advogado que estiver enfrentando sua primeira audiência irá apresentar a melhor perfomance. O importante é manter a calma e saber que tem na cabeça todas as informações sobre o processo.

Sabemos que, quando conhecemos determinado assunto, temos maior segurança para tratar sobre ele. O temido “frio na barriga”, na maior parte das vezes, é proveniente de qualquer dúvida que tenhamos sobre o que vamos expor.

Evidentemente, durante as primeiras audiências, o novo advogado pode cometer algum erro. Contudo, deve se manter no controle da situação, ouvindo sempre com atenção e não se deixando pegar desprevenido.

A primeira audiência é o grande teste para o novo advogado mostrar sua capacidade e conhecimento. É o grande teste na carreira e, por isso, deve ser preparada com toda a atenção, analisando os mínimos detalhes para mostrar a credibilidade exigida para um advogado.

15 Comentários


  1. Exatamente Maria da Graça, o tempo não diz nada em relação ao emocional do advogado responsável.
    interessante essas dicas.

    Responder

  2. Acrescento ainda ao brilhante comentário que o Advogado tem que ser conhecedor das ferramentas legais que lhe são oportunizadas e saber do seu relevante papel para o desenrolar da prestação jurisdicional. Outros profissionais que operam o direito e também servidores tem o habito de menosprezar o Advogado e em audiência é comum vermos magistrados arrogantes e prepotentes ironizando e achincalhando com o trabalho desenvolvido pelo Advogado. Tais situações devem ser rechaçadas de imediato pelo Profissional que deve buscar nas ferramentas legais o meio para enquadrar o Servidor que tenta obstaculizar seus serviços. Uma ferramenta legal importante hoje em dia foi introduzida pelo novo CPC na qual faculta ao advogado a gravação de imagem e audio da solenidade.

    Responder

  3. Essas “dicas” são importantíssimas. Pois, nem sempre o profissional que sai dos bancos acadêmicos traz consigo as noções elementares, quanto ao procedimento em mesa de audiência.

    Responder

  4. Interessante seria acrescentar a forma de pedir apartes, a palavra pela ordem, e os requerimentos em audiência, inclusive a contradita e a consignação de algum fato pertinente e relevante para deslinde do caso ocorrido na própria audiência.

    Responder

  5. Dicas de grande valia para o advogado que setá iniciando e até para os já experientes

    Responder

  6. Dicas muito valiosas. Que bom bom ter profissional como você que se dispõe a pesquisar e socializar conhecimentos importantes na prática profissional do advogado, principalmente para aqueles no inicio de carreira. Parabéns.

    Paulino Ferreira dos Santos
    Advogado OAB/AM

    Responder

  7. Muito bom, orientações básicas mais importante.Parabens .

    Responder

  8. Um bom conteúdo para situações futuras.
    E certo que irei me manter mais atento!

    Responder

  9. Eu sinto frio na barriga mesmo após 40 anos de profissão. Ainda mais agora.

    Responder

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *