Como o filme Logan pode se encaixar no contexto jurídico?

Tempo de leitura: 5 minutos

O filme Logan, que chegou aos cinemas brasileiros no dia 2 de março, marca a despedida do ator Hugh Jackman do papel icônico de Wolverine que elevou a sua carreira a outro patamar mundialmente. Além disso, Patrick Stewart também já garantiu que não voltará a interpretar o líder dos X-Men, o Professor Xavier.

Mais do que um filme de super-herói, Logan se trata de uma produção intimista, profunda e que exalta o senso de família. Mas, o longa ainda tem a capacidade de debater com propriedade temas relevantes para o direito e a sociedade em geral.

Confira a sinopse de Logan

No ano de 2024, um evento trágico reduziu significativamente a presença de mutantes no planeta, forçando a separação da equipe dos X-Men. Cinco anos depois, Logan está perdendo o seu poder de regeneração, ganhando a vida como motorista e cuidando de um confuso Professor Xavier na fronteira com o México.

Certo dia, uma estranha pede que Logan leve uma garota, Laura, até o Canadá. Inicialmente, ele se recusa, mas acaba cedendo ao descobrir que Xavier espera por essa menina há muito tempo. Laura se revela extremamente ágil e perigosa, ao mesmo tempo em que se assemelha ao antigo Wolverine.

No entanto, a menina está sendo perseguida por um grupo de mercenários que trabalham para uma corporação poderosa e misteriosa. O motivo se encontra no DNA de Laura, que possui o segredo que a liga a Logan de forma tão intensa.

Confira o trailer de Logan

Logan lida com as questões de fronteira entre Estados Unidos e México

Nada mais atual do que falar sobre as questões relacionadas à fronteira dos Estados Unidos com o México. No filme, Logan se refugia em um parque industrial abandonado na cidade de El Paso de um mundo que não aceita mais os mutantes e está à procura do Professor Xavier, considerado uma arma de destruição em massa.

Enquanto o novo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, promete a construção de um muro para impedir a entrada de imigrantes ilegais, o filme retrata os trabalhos de uma corporação misteriosa americana, só que em território mexicano.

Entre segredos industriais e práticas ilegais da medicina, essa corporação conta com um grupo de mercenários, chamados Os Carniceiros, para caçar uma testemunha de suas ações obscuras e uma vítima direta de seus experimentos.

A questão de autonomia territorial também envolve o Canadá em determinada parte do filme. Isso acontece porque o Canadá se trata de uma área onde a pequena Laura estaria, finalmente, a salvo das forças obscuras que a perseguem implacavelmente.

De fato, Logan ainda toca em pontos bastante atuais ao mostrar a busca de personagens para chegar a um lugar seguro onde passam recomeçar. Basicamente, o sonho de milhões de pessoas que se arriscam todos os dias nas mais variadas e perigosas formas para ter uma vida melhor em outra pátria.

Logan trata dos cuidados com crianças e idosos

Antes de tudo, o trailer de Logan já mostra que a menina Laura será figura central na jornada do cansado Wolverine. Mas, um velho e doente Charles Xavier também precisa dos cuidados de seu antigo pupilo para sobreviver.

Logan, que tentava se manter afastado de todos e sem criar vínculos afetivos, acaba por se tornar responsável por duas pessoas em estágios tão diferentes da vida. Sobretudo, quando a garota de apenas 11 anos está sendo perseguida por bandidos e passou por terríveis situações.

E esse cuidado redobrado de Logan para com uma criança e um idoso se encaixa perfeitamente no contexto jurídico nacional. Afinal, o Brasil foi um dos primeiros países a contar com um marco legal que acompanhasse as normas da Convenção das Nações Unidos sobre os Direitos da Criança, ainda em 1989.

Então, se Laura encontrou carinho e proteção ao lado de Logan, os pequenos brasileiros possuem o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), desde julho de 1990, para detalhar e reforçar todos os seus direitos.

De acordo com o ECA, o individuo com doze anos de idade incompletos é considerado uma criança. Enquanto que quem está entre os 12 e 18 anos deve ser visto como adolescente. Crianças e adolescentes tem o direito à vida, a alimentação, a educação, ao esporte, a cultura, a liberdade e a saúde.

Além disso, nenhuma criança deve passar por maus tratos, abusos, preconceito, exploração ou qualquer forma de violência. Vale destacar que todas as suspeitas e denúncias devem ser encaminhadas ao Conselho Tutelar de sua cidade.

Os idosos também não ficam desamparados pela lei. Desde outubro de 2003, o Estado do idoso está em vigor definindo os direitos dos cidadãos com mais de 60 anos. A Lei 10.741 define que o uso de violência física, psicológica ou abandono dos idosos em hospitais, casas de saúde ou em condições desumanas pode resultar na prisão dos responsáveis, além do pagamento de multa.

Definitivamente, o filme Logan serve para mostrar que qualquer pessoa está sujeita a depender da ajuda e cuidados especiais de terceiros em algum momento de sua vida, sendo um mutante ou um cidadão brasileiro.

7 Comentários


  1. Excelente texto! Informativo, esclarecedor e interessante. Parabéns!

    Responder

  2. Assisti a quase todos …senão a todos os filmes de Wolverine…menos Logan…o último e aparentemente sua despedida do papel. Pelas lembranças que guardo , desde o filme inicial, os roteiros…com lutas sangrentas e intermináveis entre os próprios seres mutantes nos leva a um enredo com fundo essencialmente discriminatório entre normais e diferentes e também político pela visível luta pelo poder maior…onde os mais fracos são eliminados aos poucos . Tudo isso ocorre dentro de um ambiente supostamente pacífico, com convivência pacífica…mas os bastidores nos levam à realidade atual .

    Responder

  3. Texto muito bem elaborado. Faz um paralelo interessante entre a nossa realidade/legislação e a realidade americana. Parabéns!!

    Responder

  4. Achei o filme bacana e também seus apontamentos. Mas tanto no filme, quanto na realidade, devemos atentar que meras barreiras geográficas ou leis protecionistas não tem força suficiente para ora barrar um grupo fortemente armado de capturar crianças mutantes ou impedir abusos contra idosos e menores..

    Responder

  5. E a violência contida no filme. Exagerada e fora da realidade. Já que constata-se todas essas nua cesar voltadas à reflexão a respeito das leis e instituições e acima de tudo sobre acontecimentos atuais, deveria debater e/ou retratar a forma de como procurar alternativas sobre violência.

    Responder

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *