Good Fight – Saiba porque essa série é importante para os profissionais do Direito

Tempo de leitura: 4 minutos

Derivada de The Good Wife, a série Good Fight é indispensável para estudantes e profissionais do direito. De uma hora para outra, a vida de Alicia Florrick vira do avesso após o envolvimento do seu marido, o procurador Peter Florrick, em um escândalo político e sexual. Depois da prisão do esposo, Alicia se vê obrigada a abandonar a vida de dona de casa para trabalhar e sustentar os filhos, Zach e Grace.

Com insistência, Alicia conquista um emprego no escritório de advocacia de Will Gardner, um antigo colega de universidade. No entanto, ela precisa se adaptar ao seu novo mercado de trabalho e lidar com a competição de jovens profissionais para se estabelecer e manter a família unida.

Este foi o ponto de partida da série The Good Wife, que abordou com muito sucesso e qualidade o mundo do direito ao longo de sete temporadas e 156 episódios.

Prova disto é que com o encerramento do seriado surgiu a possibilidade de dar continuidade a história, mas centrando as atenções em outros personagens. Neste contexto, se deu origem a série The Good Fight.

Conheça a série derivada The Good Fight

De maneira geral, The Good Fight foi criada para dar sequência aos fatos da série original, só que com novas ideias e livre das amarras dramáticas dos sete anos de The Good Wife. Basicamente, se inicia uma jornada com velhos conhecidos e que tende a despertar o interesse dos antigos admiradores.

A série derivada começa doze meses depois dos desdobramentos do último episódio de The Good Wife. Uma grande engenharia financeira acabou com a reputação da jovem advogada Maia, ao mesmo tempo em que também esgotou as economias de sua mentora, Diane Lockart. Obrigadas a se afastar da agência Lockhart & Lee, a dupla se une a Lucca Quinn em um promissor escritório em Chicago.

O seriado conta com o retorno de Christine Baranski e Cush Jumbo nos papéis de Diane Lockhart e Lucca Quinn respectivamente, enquanto que as novidades ficam por conta de Rose Leslie, Delroy Lindo, Sarah Steele, Paul Guilfoyle, Bernadette Peters e Erica Tazel. Os idealizadores de The Good Wife, Michele e Robert King seguem a frente da produção.

O seriado estreou nos Estados Unidos recentemente, contudo, ainda não existe nenhuma previsão oficial para a sua chegada ao Brasil.

Eleição americana causou mudança no seriado

O mundo inteiro se surpreendeu com a vitória de Donald Trump na corrida eleitoral dos Estados Unidos. Mas, o impacto desta surpresa exigiu algumas alterações na trama do primeiro episódio de The Good Fight.

O piloto foi gravado antes da apuração das urnas quando a vitória de Hillary Clinton era dada como certeza por milhares pessoas ao redor do globo, inclusive pelos roteiristas da série. Porém, a jornada de superação e redenção das três personagens principais também se encaixa com a inesperada derrocada de Hillary.

Maia percebe que todos ao seu redor menosprezam a sua família e necessita provar que pode ser uma profissional de prestígio. Diane deve reconhecer a ruína de todo o legado que construiu e Lucca tem o desafio de passar por cima das tentativas de transformá-la apenas na sombra de alguém importante.

Portanto, são três narrativas poderosas e muito bem trabalhadas nos primeiros episódios da temporada de estreia. Por causa disto, torna-se praticamente impossível não se identificar e torcer pelo sucesso do trio de protagonistas.

Série derivada mantém essência de The Good Wife

Diferente dos tradicionais 22 episódios por temporada de The Good Wife, a série derivada se restringiu a um primeiro ano bem menor: somente dez episódios. Apesar disso, The Good Fight tem se mostrado bastante eficiente e com arcos dramáticos muito bem planejados, tendo sempre o direito como pano de fundo.

Além disso, os temas mais relevantes acabam por abranger o preconceito contra a raça, a orientação sexual, as questões políticas e econômicas em debate nos EUA nos dias de hoje, o conceito de culpa e até mesmo os dilemas trazidos pela idade, personificados pelos conflitos das protagonistas.

O texto jurídico do seriado é de alta qualidade e a essência de The Good Wife pode ser notada com citações frequentes a Alicia e Will. Todavia, essa referência não tira nenhum pouco da excelência e da construção de uma nova identidade para The Good Fight. Portanto, se você costumava acompanhar os episódios de The Good Wife vai aproveitar cada minuto das tramas de sua série derivada, especialmente, se está estudando ou trabalha diretamente com direito.

Caso nunca tenha assistido a série original não existe nenhum empecilho, uma vez que o seriado se sustenta por conta própria. O problema é deixar de acompanhar uma produção de alta qualidade, especialmente, na condição de futuro ou advogado formado.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *