Carreira pública ou carreira na advocacia: qual devo seguir?

Tempo de leitura: 5 minutos

Como é de curial sabença, a dúvida entre optar pela carreira privada ou pública é dominante em alunos do Curso de Direito. A proposta desse artigo é expor para vocês as diferenças entre o profissional liberal (advogado) e um servidor público no seu dia a dia de trabalho.

De todo o modo, inúmeras são as opções de trabalho após o término da faculdade do Curso de Direito, contudo, na mesma proporção, inúmeras são as dificuldades existentes para alcançar o seu objetivo, qual seja, sucesso e satisfação pessoal em um cargo público ou sendo um advogado bem sucedido.

Assim, as possibilidades de carreiras no “universo jurídico” são variadas e é justamente por isso que o Curso de Direito é massivamente optado pelos estudantes, mesmo que o mercado seja amplamente concorrido. A propósito do tema em debate é importante considerar que ambas as carreiras (privada ou pública) têm intrinsicamente alguns pré-requisitos em comum para o êxito profissional: esforço, dedicação e estudo!

Não há dúvidas que em certo momento (antes, durante ou depois) da faculdade, o estudante/formado terá que optar em seguir uma carreira na advocacia privada ou uma carreira pública e dedicar-se muito para isso. Obviamente que muitos advogados em nosso país (liberais ou contratados) conciliam a atividade privada com horas de estudos almejando uma carreira pública, frente às dificuldades financeiras para manter seus estudos até o momento de assumir o referido cargo público.

Para aquelas pessoas que têm alguma dúvida frente ao Curso de Direito e acham que a concorrência está sufocando o mercado para novos advogados, fica uma dica: para pessoa qualificada sempre haverá vaga. O Brasil realmente possui um enorme número de advogados e a cada ano milhares de bacharéis são formados nas diversas faculdades que oferecem o curso. Todavia, é fato notório que para a mão de obra qualificada sempre existiram vagas!

Voltando ao tema central do artigo, em relação aos prós e contras entre a carreira privada ou pública, é importante citar que a carreira pública oferece para você uma estabilidade financeira de grande valia, mesmo que o retorno financeiro não seja estratosférico como na iniciativa privada em muitos casos.

Ainda, em relação ao retorno financeiro, alertamos que o servidor público não terá um aumento salarial expressivo com o tempo, apenas progredindo com os reajustes definidos por lei. Portanto, o correto é não parar de estudar e continuar prestando concursos públicos até alcançar o retorno financeiro que você considere ideal. A ideia central seria passar primeiramente em concursos mais acessíveis, no intuito de você ter uma base financeira boa a fim de possibilitar um empenho maior para concursos mais concorridos. Porém, na realidade isso acaba gerando certa acomodação em muitos servidores e sua vida de estudante acaba parando por ali. Isso parte, logicamente, de cada pessoa procurar um cargo superior ou não.

Contudo, conforme já mencionado, o concursado terá um emprego seguro, não correndo risco de uma demissão imprevista (salvo os motivos previstos em lei), gozará de férias regulares e uma boa aposentadoria, sem falar em planos de saúde, décimo terceiro salário, entre outras vantagens.

De outra banda, através da advocacia privada e com dedicação profissional você poderá alcançar um retorno financeiro muito significativo (até superior ao retorno da carreira pública) após o período inicial de estabilidade do seu escritório no mercado, o que, diga-se de passagem, é um momento crítico para o sucesso na sua profissão.

Outra diferença entre a carreira jurídica e o profissional liberal é a questão do horário de serviço. O funcionário público terá um horário a seguir rigorosamente. O advogado tem algumas regalias quanto a isso, podendo definir seu próprio horário.

Em relação às férias, a vantagem é do servidor público que pode tirar o período integral de férias. Já o advogado dificilmente conseguirá se “desligar” do trabalho em um período de 30 dias, por exemplo, frente ao grande volume de ações ajuizadas.

Ainda, em relação horários de serviço, embora o servidor tenha uma jornada a seguir, após esse período, salvo o regime de plantão (o qual estará relatado no edital do concurso, se houver), poderá realizar outras atividades previamente programadas. O advogado muitas vezes não tem um horário certo de ir para casa, abrindo “mão” do seu lazer no final de semana, em algumas oportunidades, na medida em que a demanda processual aumenta.

Uma semelhança entre ambas às carreiras é o estudo, afinal, tanto na advocacia privada, quanto no setor público, o estudo é fundamental, haja vista que o bom advogado deve-se manter atualizado e o estudante para ingressar em uma carreira pública com toda a certeza terá que enfrentar muitas horas de estudos.

Logo, conforme exposto acima, cada carreira tem suas peculiaridades, vai de cada pessoas sopesar as diferenças encontradas e entender o que é melhor para si. É importante compreender a sua futura atividade diária a fim de não optar pela carreira errada.

Por fim, queremos demonstrar através do atual artigo, que o Direito tem o seu “charme” justamente por possibilitar muitas chances no mercado de trabalho, público ou privado, onde através do seu empenho e dedicação você poderá alcançar sua realização pessoal, através de uma remuneração digna e um prazer na execução de sua atividade profissional. Nenhum outro curso lhe oferecerá tantas oportunidades de trabalho como o Direito. Analise o que você realmente pretende seguir e esforce-se ao máximo. O importante é ser feliz no que você faz e não preocupar-se apenas com o dinheiro. Pense nisso!

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *