Erros mais cometidos pelos advogados iniciantes

Tempo de leitura: 4 minutos

Caros leitores do blog, o presente artigo tem o propósito de evidenciar os principais erros cometidos pelos advogados em início de carreira, no intuito de auxiliá-los a evitar as referidas falhas.

A ESCRITA

O advogado como operador do direito deve dominar a língua portuguesa em suas peças processuais a fim de não ter petições rejeitadas em virtude da coesão e da coerência. A verdade é que ele não precisar ter, talvez, toda a técnica que um grande escritor reconhecido nacionalmente tem pelas suas obras literárias e pelo domínio da escrita, todavia, deve atentar-se ao necessário para não beirar ao ridículo como acontece em algumas peças que seguidamente são protocoladas, as quais demonstram o desleixo de alguns advogados pela língua portuguesa.

Petições com palavras erradas, uma frase ou parágrafo sem ligação alguma com o anterior passam uma imagem negativa do operador do direito perante o magistrado e a parte contrária. É fato notório que a escrita está intimamente ligada ao advogado, assim como a oralidade, logo, para uma boa defesa de um cliente, logicamente é necessária uma boa escrita.

Os advogados devem preocupar-se, portanto, com a técnica da escrita e buscar aperfeiçoá-la, não precisando abusar do juridiquês, mas sendo claro e objetivo, haja vista que se assim não for, suas alegações serão incompreensíveis e o resultado será vergonhoso para esse operador do direito, que em tese, deveria dominar a língua portuguesa e uma escrita digna de defender seus clientes.

A PROMESSA DE SUCESSO NA FUTURA AÇÃO

Na tentativa de convencer o cliente acerca da contratação do seu serviço, muitos advogados prometem o ganho de causa na futura ação que será ajuizada, deixando seu potencial cliente muito otimista frente a suposta “grande indenização” que será recebida.

Porém, esse é um grande erro, afinal, você não pode adivinhar quais serão os julgamentos dos juízos a quo e ad quem e além de iludir seu cliente, estará também denegrindo a sua imagem como advogado.

Ora, ante a promessa de ganhos extraordinários para o cliente e uma improcedência por parte do juízo, com toda a certeza a sua fama não será das melhores, você será conhecido como um grande mentiroso e gerará desconfiança desse próprio cliente, o qual vai pensar que você simplesmente “passou a perna” e ficou com todo o dinheiro prometido.

O certo é deixar claro para seu futuro cliente sobre as chances reais de ganho de causa na presente ação, bem como, demonstrar que sua dedicação será total para aquele processo. Dessa foram, partirá de cada cliente a confiança no seu trabalho para a sua contratação e sua fama como advogado será muito benquista pela sociedade.

ATENDIMENTO CORRETO AOS CLIENTES

Organize-se e prepare-se com antecedência ao atendimento de um potencial cliente. Tenha já em mente ou até mesmo anotado as perguntas que deverão ser realizadas, bem como os documentos que serão requeridos para o ajuizamento da ação. Assim sendo, você não precisará importunar seu cliente com ligações e “correrias” até o seu escritório a fim de sanar dúvidas que você não tirou ou levar documentos que você esqueceu-se de pedir.

Além disso, tenha noção de que os clientes esperam uma solução rápida da lide, contudo, os mesmos muitos vezes não têm conhecimento que a celeridade processual é apenas um princípio. Procure manter o seu cliente informado sobre o andamento do processo, o faça acreditar realmente no seu esforço, pois, através de informações simples sobre a movimentação do processo, ele ficará mais tranquilo e confiante no seu serviço.

Por derradeiro, no momento que seu cliente entrar em contato com você (telefone, e-mail ou até mesmo facebook) trate-o com todo o respeito e educação merecidos, jamais seja arrogante ou impaciente com o mesmo, afinal, você é mandatário dos interesses dele e não pode deixar de dar a devida atenção, do contrário, seu trabalho estará fadado ao fracasso.

CONTRATO DE HONORÁRIOS

Quando o assunto é dinheiro, o cuidado deve ser ainda maior. Explique e torne cristalino para o seu cliente o que são custas judiciais, os honorários advocatícios e a sucumbência, bem como instrumentalize o seu contrato particular de honorários para evitar desconfianças futuras por parte do seu cliente.

Esse ponto é realmente complicado, principalmente quando você buscar esclarecer e confrontar o valor do alvará e o valor destinado ao cliente. Importante se mostra então ter um contrato de honorários por escrito, assinado pelo contratante, contratado e testemunhas, para uma futura execução se necessária.

Tenho certeza que essas dicas serão muito válidas para o seu dia a dia como advogado e contribuirão para o seu sucesso. Até mais!

9 Comentários


  1. Gostaria de saber dos estagiários colocados para atendimentos de causas trabalhistas! Fiz uso de um aluno, UFPel, creio q. ele também nem tinha supervisão do seu estágio na cidade de Pelotas, ele no caso perdeu prazo e também nem me comunicou que existia um tempo de prescrição da causa. Minha pergunta é o que acontece com o tal aluno e como funciona a supervisão já que eu soube pelos outros colegas dele q. o prazo da ação já tinha inspirado? Obrigado

    Responder

  2. Ao JC Blog,
    Acerca do item A ESCRITA, como poderia uma Peça Processual ser rejeitada em face da COESÃO E COERÊNCIA ?
    Esclarecendo que, é assim que no item acima mencionado está exposto, pois coesão tem como sinônimo harmonia e coerência é sinônimo de conexão, harmonia.

    Responder

    1. Caro colega,
      Na narrativa dos fatos, assim como, na argumentação jurica, se o texto nao for coerente nos seus dizeres, o Juiz, nos termos do art.295 inciso I e p.ú inciso II , podera indeferi sem julgamento do mérito a petição inicial.

      Responder

  3. SEMPRE ENTENDI QUE O CLIENTE É O MAIOR PATRIMÔNIO QUE TEMOS, E A SUA PRESERVAÇÃO É DE SUMA IMPORTÂNCIA!!!

    Responder

  4. Acredito que o autor do artigo deveria enfatizar o texto como “dicas” para iniciantes e não erros cometidos. Pois este título não é nada atrativo… Nem tem nexo com o conteúdo. Enfim…

    Responder

  5. Bom dia!
    O Artigo cabe para os Advogados experientes.
    Sugestão:
    Erros mais cometidos pelos Advogados experientes.
    Ai sim!!!

    Responder

  6. Não há necessidade de testemunhas no contrato de honorários advocatícios.
    No restante é por ai mesmo.

    Responder

  7. Muito importante, especialmente, para novos advogados. Quem colocacem prática estas observações, certamente, terá sucesso na militância da advocacia.

    Responder

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *