Como a correspondência jurídica pode efetivamente ajudar no início da sua carreira?

Tempo de leitura: 3 minutos

Ao sair da universidade com o diploma de Direito, o jovem advogado pode sentir uma grande dificuldade para conseguir um emprego na sua área em função da pouca experiência, da crise econômica que assola o país ou até mesmo pela falta de contatos dentro do seu setor.

Desta forma, encontrar uma alternativa temporária ou mesmo definitiva pode ser uma excelente maneira de construir uma carreira de sucesso dentro do universo jurídico.

Sendo assim, a correspondência jurídica deve ser considerada para todo o advogado nos seus primeiros anos de atuação. Resumidamente, o advogado correspondente é aquele que trabalha em parceria com um outro profissional ou mesmo um escritório de advocacia de uma outra localidade para resolver alguma pendência que não seja tão complexa. O requisito para exercer a correspondência jurídica é, simplesmente, estar apto para exercer o Direito.

Descubra a seguir mais alguns motivos que comprovam que a correspondência jurídica pode, de fato, ajudar no começo da carreira de um advogado, principalmente, afastado dos grandes centros do Brasil:

1 – Experiência na área jurídica

Não é apenas no mercado jurídico que a falta de experiência é um dos quesitos que mais atrapalha a entrada de jovens no mercado de trabalho. Por isso, ao optar por trabalhar inicialmente como um advogado correspondente, o recém-formado tem uma grande possibilidade de conseguir clientes e/ou serviços para conquistar um tempo de trabalho considerável e que pode facilitar o seu ingresso em um grande escritório.

2 – Contatos no setor jurídico

Logo após a aquisição de experiência, o jovem advogado também vai ter acesso a diversas pessoas do mundo jurídico. A partir do momento que começa a prestar serviços para outras empresas, profissionais e/ou escritórios, o advogado amplia consideravelmente os seus contatos e, consequentemente, também entra no radar das organizações. Através de um trabalho bem feito como correspondente, o jovem pode ser contratado em definitivo.

3 – Versatilidade no mercado de trabalho

Hoje em dia, a capacidade de se adaptar rapidamente a um mundo em constante mudança é uma das características mais procuradas nos trabalhadores.

Desta maneira, ao exercer a função de correspondente, o advogado vai trafegar em diversas áreas do Direito e vai acumular experiências. Com o tempo, vai ter a possibilidade de se transformar em um profissional bastante versátil e que não encontra problemas em transitar de um campo jurídico para o outro. Uma qualidade que também pode garantir um excelente emprego ou crescimento na carreira autônoma.

4 – Atualização na área de atuação

Com a necessidade de contatar, pesquisar e encontrar mais clientes e trabalho, o advogado correspondente vai precisar de toda a ajuda possível. Logo, a internet pode ser uma excelente aliada. Com a obrigação de saber se “virar” por conta própria, o jovem advogado vai precisar tirar o melhor proveito da tecnologia e apostar nas novas mídias. Atualmente, existem plataformas que conectam o contratante e o contratado. Portanto, a “obrigação” profissional mais cedo ou mais tarde vai se tornar uma grande vantagem frente a outros advogados que mal tem consciência da existência dessas ferramentas digitais.

Você está no início da carreira? Já está usando essas dicas?

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *