As maiores reclamações sobre correspondência jurídica e como evitá-las

Tempo de leitura: 2 minutos

O trabalho de correspondência jurídica tem propiciado oportunidade a muitos advogados iniciantes em todo o Brasil nos últimos anos, principalmente em virtude das facilidades oferecidas pela internet.

A correspondência jurídica facilita o trabalho de muitos escritórios e advogados que, muitas vezes, possuem um grande número de processos, muitos deles em comarcas onde é necessário fazer diligências. O advogado correspondente agiliza os processos, gerando economia para os escritórios contratados pelos clientes e, além de tudo, gerando renda para advogados iniciantes, que precisam não só de experiência em sua atividade e carreira, mas também de dinheiro para a sobrevivência.

Como em todas as atividades profissionais, no entanto, também a correspondência jurídica é alvo de muitas reclamações. A maior parte delas geralmente origina-se nos próprios clientes, quando sabem que um advogado desconhecido dele, cliente, estará tomando conta de um processo importante.

Outras reclamações podem partir dos próprios advogados correspondentes, quando são relegados em favor de outros correspondentes, que cobram honorários mais baratos, muitas vezes bem abaixo da tabela sugerida pela OAB de seu Estado.

Como resolver as reclamações sobre correspondência jurídica?

Com relação à maior reclamação, o cliente, quando sabe que seu processo deverá ser conduzido através da correspondência jurídica, deve ser devidamente esclarecido pelo seu advogado constituído das grandes facilidades que essa atividade pode trazer. Não somente com relação à economia nos custos de diligenciamento do processo, como também com relação ao conhecimento que o advogado correspondente tem de sua comarca e região, possibilitando andamento mais célere às diligências.

Para o cliente, é claro que cabem dúvidas. Afinal, contratou um advogado, com quem pode conversar e tratar todos os assuntos e, devido à necessidade, houve a obrigação de contratar um correspondente. A melhor alternativa, neste caso, é convidar o advogado correspondente e fazer com que ele converse juntamente com o advogado contratado, sendo apresentado o cliente e mostrando que o trabalho que está sendo realizado não é apenas um contato virtual: trata-se de um profissional tão competente quando aquele contratado.

Para a segunda reclamação sobre correspondência jurídica, basta que o advogado contratante prime pela qualidade dos serviços e não só pela economia para o cliente. E este ponto é fundamental para o sucesso de seu próprio trabalho.

Tem alguma dica para evitar reclamações no seu trabalho? Compartilhe aqui conosco.

6 Comentários


  1. Estou muito descontente com as concorrência por demandas, pois do dia que assinei com site, não consegui uma demanda se quer. Estou com meus valores de honorários, abaixo da tabela e ate agora nadaaaaa. Estou começando a achar que isso é tudo fake.

    Responder

  2. Boa noite

    Sou estudante do curso de direito não possuo a carteirinha da OAB de estagiario, quais são as oportunidades de correspondência a qual posso realizar. Quero me cadastrar mais tenho a dúvida se compensa fazer o cadastro.

    Responder

  3. Você demora 05 anos para formar! passa por uma prova difícil para adquirir a carteira da OAB! e ainda é taxado de idiota por reclamar de aviltamento de honorários?
    É possível perceber que você não Se auto valoriza. Para você estar ali “20 minutos “para realizar uma audiência, é porque você é qualificado para estar ali agora achar que os colegas que cobram 300,00 por uma audiência é para querer aparecer é demais.

    Responder

  4. Advogado que reclama porque outro correspondente cobrou mais barato é idiota.
    Estamos no mercado onde todos precisam do trabalho e o escritório precisa economizar dada a crise que nosso país enfrenta. Sendo assim, qual vantagem teria um escritório em contratar um advogado que acha o bonzão e cobrar R$ 300,00 em uma audiência de 20 minutos e R$ 150,00 para tirar foto de 1 folha do processo?
    Muito insensato a OAB querer se meter nisso também ao invés de procurar auxiliar de forma mais convincente os advogados como por exemplo diminuir a ALTA anuidade e, se for para manter o valor, que traga mais benefícios para nós.

    Responder

    1. Audiência de 20 minutos custam bem mais que isso do tempo de um advogado, pois tem o tempo de deslocamento, análise do processo, espera, contato e orientação com o cliente etc. Facilmente leva mais de uma hora.
      Já o valor da anuidade não chega a 1% da renda do advogado. Um almoço ou outra besteira qualquer cobre os sessenta e pouco reais mensais pagos num mês à OAB.
      Insensato e idiota é quem cobra valores irrisórios por serviços de qualidade equivalente e se queixa dos profissionais que valorizam seu trabalho e a categoria.

      Responder

      1. Concordo com você desconhecido.
        Perfeita explanação!
        Devemos nos valorizar em prol da valorização dos honorários advocatícios, não aceitando valores aviltantes na prestação dos serviços.

        Responder

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *