Como um advogado correspondente deve se comportar em uma audiência

Tempo de leitura: 5 minutos

Um advogado correspondente deve se comportar durante uma audiência da mesma forma como mantém seu comportamento em audiências de seus clientes diretos. Claro que, para o correspondente, podem surgir algumas dúvidas, principalmente quando em início de carreira ou para advogados mais acostumados ao simples trabalho burocrático, quando se dedica a analisar contratos e peças jurídicas para sua empresa contratante.

O trabalho dentro do Fórum é totalmente diferente do trabalho dentro de um escritório e o advogado deve se guiar pelo que aprendeu em seu curso de Direito, criando a prática através da experiência. Nas audiências existe um protocolo a ser seguido, existem regras que devem ser respeitadas e existe também o sério comprometimento do advogado com seu cliente contratante, que precisa de resultados positivos sobre sua atuação.

Para participar de audiências, o advogado correspondente deve seguir esses três passos:

1. Preparação para a audiência

Ao ser contratado, o profissional deve se preparar antes de qualquer instrução, evitando problemas durante a audiência e a possibilidade de trazer prejuízos para os clientes. Para uma preparação conveniente é necessário tomar algumas providências:

· Ler a defesa com atenção

O advogado deve ter conhecimento dos termos da defesa, lendo-a e procurando saber os pontos que podem ser usados como argumentos do contratante. Caso haja atraso na entrega, deve informar o fato na constatação e, para qualquer alegação, é necessário ter em mente os argumentos. Assim, é necessário ler antes e estudar para conseguir bons resultados.

· Analisar os documentos

Todos os documentos constantes da defesa devem ser analisados para que, em caso de necessidade, sejam apresentados durante a audiência. Diante disso, deve verificar cada documento apresentado, não gerando qualquer empecilho para o bom andamento da audiência e possibilitando ao magistrado uma decisão mais acertada.

· Verificar a existência de determinações específicas

Muitos contratantes apresentam cópias de documentos logo junto com a inicial, enquanto outros propõem o início de um processo com valores menores ou com condições que possivelmente não serão aceitas pela outra parte. Para evitar maiores preocupações e maior trabalho com processos que não merecem, o advogado correspondente deve estar por dentro de toda e qualquer especificação para a diligência em que irá representar seu cliente.

2. Durante a audiência

Depois de conhecer a defesa, de analisar os documentos, bem como após a verificação da existência de determinações específicas, o advogado pode se sentir melhor preparado para a audiência.

Nesse caso, poderá atuar de forma mais acertada durante a audiência, tomando as necessários atitudes:

· Apresentar a proposta

Caso haja possibilidade de conciliação e o contratante esteja de acordo, o correspondente pode, inicialmente, apresentar uma proposta para a ação, mostrando a disposição de resolver logo a pendência, uma atitude que é sempre vista com bons olhos pelo magistrado.

Havendo uma contraproposta, é necessário entrar em contato com o contratante o mais rápido possível, verificando a possibilidade de aceitar, principalmente quando a contraproposta parte do juiz. Muitas vezes uma sentença pode ser mais favorável diante da resposta sobre uma proposta.

· Pedir para constar a proposta em ata

É importante, ao apresentar uma proposta fornecida pelo cliente, pedir para constar em ata, já que, em diversos casos, os juízes aplicam as sentenças com base em valores propostos nas audiências. Quando se faz constar em ata, a proposta se torna parte do processo e não pode ser mais ignorada em qualquer etapa seguinte.

· Analisar a inicial

Depois de feita a proposta e de não tê-la como aceita, o advogado já deve estar por dentro dos riscos que seu cliente está correndo. Assim, é importante verificar novamente a inicial, procurando algum ponto que possa ser favorável ao cliente. Havendo alguma condição específica, deve falar sobre ela e pedir para constar em ata. As atitudes do correspondente devem refletir exatamente aquilo que o cliente procura no processo.

3. Concluindo o processo

Depois de encerrada a audiência, independente de seu resultado, o advogado deve fazer o seu relatório, colocar as condições e o que ocorreu na audiência. Após, deve repassar essas informações de imediato para o cliente, propondo possíveis soluções e mostrando o seu interesse no melhor resultado para o caso, comprometendo-se com os anseios de seu contratante e do cliente atendido por ele.

É necessário também entender que cada audiência possui um conjunto de atos processuais específicos. Portanto, varia de caso para caso, como, por exemplo, fixação de valores e pontos controvertidos, tentativas de conciliação, fase probatória ou mesmo alegações finais, entre outros.

O correspondente deve se mostrar bem preparado, como se o processo fosse de um cliente direto. Conforme visto, para isso, precisa ter conhecimento de tudo o que se refere ao caso, tanto do ponto de vista jurídico quanto do ponto de vista de suas causas. Dessa forma, transmitirá maior credibilidade, seja ao se dirigir ao juiz ou parte contrária no processo.

Com a demonstração de conhecimento e de responsabilidade com a audiência, o advogado correspondente irá influenciar de forma positiva para a melhor solução da lide. Sem falar no respeito em sua atuação, que ser refletirá em processos futuro, seja como correspondente ou como advogado diretamente responsável.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *