Seja seu chefe: dicas para tornar a correspondência jurídica seu próprio negócio

Tempo de leitura: 4 minutos

A correspondência jurídica é uma atividade que tem conseguido crescimento nos últimos anos. Esse fato ocorreu principalmente através de sites voltados para divulgação e intercâmbio entre escritórios de advocacia e profissionais que se dedicam a esse modelo de serviço, como é o caso do Jurídico Certo.

O objetivo da correspondência jurídica é dar apoio a escritórios que tenham grande volume de processos em comarcas diferenciadas, onde é necessário realizar qualquer tipo de diligência.

A correspondência jurídica é uma atividade das mais proveitosas para o profissional de Direito. Ela pode, com tempo e dedicação, se tornar a maior fonte de renda para qualquer advogado.

Correspondência jurídica: um trabalho que vale a pena

Para que o trabalho de correspondência jurídica realmente valha a pena, é necessário que as negociações sejam feitas com valores previamente acertados, dentro dos parâmetros estabelecidos pela OAB e com pagamento pré-estabelecido.

Ao mostrar eficiência, o advogado certamente será procurado novamente ou indicado para outros escritórios.

Veja aqui: Infográfico: Jurídico Pag – Como pagar ou receber online pelas demandas?

Ao trabalhar com preços condizentes e oferecendo resultados rápidos, o advogado poderá formar sua própria carteira de clientes fixos. Através dessa visibilidade, a correspondência se transforma em sua principal atividade.

O retorno pode não ser imediato, evidentemente, vai depender da atuação do advogado como correspondente. Desde que ele atue dentro da ética e das boas normas, irá fortalecendo sua boa fama e conseguindo novos escritórios.

O trabalho como correspondente jurídico, além de ser uma maneira de crescer na carreira de advogado, também traz a grande vantagem de oferecer conhecimento nas mais diversas áreas do Direito. Ao atuar como correspondente, o advogado estará aprendendo e, com isso, conseguindo experiência, ou seja, estará ganhando até para aprender.

Vantagens da atividade de correspondente jurídico

As vantagens que se apresentam para o advogado que atua como correspondente jurídico são as mais diversas. A correspondência traz benefícios à carreira e oferece experiência para profissionais que estejam começando sua carreira.

Trata-se de uma área bastante ampla. Os serviços podem variar desde os mais simples, como o protocolo de uma petição, até o mais complexos, como participar de audiências.

Ao fazer o cadastramento em um site de correspondência jurídica, o advogado poderá, desde o início, encontrar diversas oportunidades de trabalho. O Jurídico Certo possibilita que escritórios e advogados de todo o país ofereçam diligências.

Assim, é possível fazer diligências para advogados desde cidades vizinhas até as mais distantes. O advogado, atuando como correspondente jurídico, tem autonomia para trabalhar para quantos escritórios quiser. Portanto, nada impede que esteja trabalhando para um escritório e aceite uma demanda de protocolo e distribuição para outro.

Flexibilidade de horário

A atividade de correspondente jurídico é bastante dinâmica, permitindo, ao mesmo tempo, flexibilidade de horário. O advogado não precisa ficar preso a horários ou a rotinas de serviços dentro de um escritório, podendo fazer suas tarefas no momento que quiser, desde que atenda aos prazos estipulados.

Para um advogado que não tenha ainda seu escritório próprio, a correspondência jurídica pode se tornar o seu próprio negócio. Existe a vantagem de não precisar arcar com os custos de aluguel, contratação de pessoal ou de outros necessários para a manutenção do escritório.

Além disso, é importante destacar a grande experiência que o advogado pode ter ao trabalhar para diversos escritórios. O advogado correspondente vai atuar em áreas diferentes, mantendo contato com advogados, juízes e servidores, bem como vai conhecer diversos processos diferenciados.

No trabalho como correspondente jurídico, muito mais do que somente o aprendizado, há a possibilidade de troca de conhecimentos, conseguindo uma visão mais abrangente do Direito.

Ter o negócio próprio na correspondência jurídica e conseguir reconhecimento profissional

Ao prestar os serviços de correspondência jurídica, o advogado sempre é avaliado pelo seu trabalho. A maior parte dos sites apresenta essa avaliação, o que o pode tornar reconhecido profissionalmente em pouco tempo.

Para ser bem avaliado, é evidente que o profissional deve ter comprometimento, mostrar sua responsabilidade e ser confiável.

Com os contatos através de suas atividades, em pouco tempo poderá atuar com diversos escritórios de advocacia e, ao conseguir resultados positivos para seus contratantes, além de conseguir maior experiência, também estará construindo um networking abrangente, que poderá abrir outras portas.

Com a continuidade de seu trabalho na área de correspondência jurídica, os contatos profissionais vão se somando e apresentando novas oportunidades de trabalho, novos conhecimentos e, principalmente, maiores rendimentos.

Para atuar como correspondente jurídico, o advogado só precisa se cadastrar nos sites que oferecem esse tipo de serviço e, a partir daí, seguir em rumo à montagem de seu próprio negócio. Comece hoje a alicerçar sua carreira!

Quer ser um correspondente no Jurídico Certo? Clique aqui e saiba como.

3 Comentários


  1. PARECE uma boa alternativa, mas na prática, em regra, não é!

    -> Como deveria ser:
    “Para que o trabalho de correspondência jurídica realmente valha a pena, é necessário que as negociações sejam feitas com valores previamente acertados, dentro dos parâmetros estabelecidos pela OAB e com pagamento pré-estabelecido.”

    -> Como é:
    1.geralmente você tem de assinar o plano de determinado site de correspondência para receber as demandas (alguns oferecem o plano free, mas não é válido pq quase nunca aparece demanda);
    2. A depender da localidade que você cadastre como “área de atuação”, não será acionado com certa constância para efetuar algum trabalho/diligência, ficando a mercê de ter alguma demanda ou não (o que imprevisível).
    3.1. A maioria das demandas são passadas por grandes escritorios (contratantes)…
    3.2. Em regra, pagam muito pouco ao advogado correspondente (contratado), a nível de desvalorizar a profissão.
    3.3. Em regra, só pagam pelo serviço prestado, com 30 ou 60 dias após a sua realização;
    4. Você (Adv correspondente), além de tudo isso, em regra, tem de ficar ligando para cobrar que o escritório pague o que lhe é devido;
    4.1. Tem escritório que não paga na data aprazada e, mesmo após o desgate de varias cobranças, no fim, se você quiser receber o pagamento, tem de ter o trabalho de cobrar judicialmente.

    É…acho que não esqueci mais nada.

    Agora, tire suas conclusões.

    Responder

    1. Certíssimo, esta é a realidade do correspondente.
      Os valores são muito baixos, quase sempre com a promessa de que serão muitos os chamados, o que raramente acontece, e quando acontece, o volume de trabalho ocupa quase todo o seu tempo (idas ao fórum, volta para digitalizar e enviar processos, audiências etc.) que não sobra tempo para desenvolver o escritório contato com clientes e estudo de aperfeiçoamento. E o valor auferido por tudo isto é bem abaixo do que se pode ganhar em uma ação.

      Responder

  2. Trabalhei vinte e um anos na PCDF,aposentado terei que tirar mina OBA/DF.

    Responder

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *