O que um estudante de Direito deve fazer para trabalhar na correspondência jurídica?

Tempo de leitura: 5 minutos

A correspondência jurídica é uma área do Direito que vem crescendo nos últimos anos, tornando-se uma excelente oportunidade para o estudante de direito começar suas atividades na área jurídica.

Antes de entrarmos no assunto do que o estudante deve fazer para trabalhar como correspondente é interessante analisarmos alguns motivos que mostram as vantagens de se trabalhar nessa área tão promissora:

1. Começo na carreira de advogado

Trabalhar como correspondente é uma das melhores maneiras de começar uma carreira de advogado. Em vez de esperar clientes ou de fazer um estágio, a correspondência oferece a possibilidade de alicerçar o início da carreira.

2. Qualificação nas mais diferentes áreas

A experiência que o trabalho de correspondente proporciona é algo que não será esquecido na carreira de advogado. É possível trabalhar para escritórios de qualquer parte do país, conquistando novos clientes, aumentando a lista de contatos e conseguir experiência em todas as áreas.

3. Ampliação do networking

Atualmente, a manutenção de um networking é um dos pontos mais importantes para alicerçar a carreira de um advogado. No trabalho de correspondente, o estudante irá conseguir contatos que poderão abrir suas portas no futuro.

4. Conquista de renda extra

O melhor dos motivos para trabalhar como correspondente é exatamente a renda. Assinar bons contratos e a possibilidade de ter um rendimento fixo mensal irá facilitar a vida do estudante de direito.

5. O estudante de direito pode ter um horário flexível de trabalho

Trabalhar como correspondente permite que o estudante tenha liberdade de horário. Esse ponto é interessante para ele que precisa se dedicar aos estudos, programando-se para atender os clientes, estudar e ainda ter os momentos necessários ao lazer e ao descanso.

Bons motivos não faltam para que o estudante possa se dedicar ao trabalho de correspondência. Além disso, podemos garantir que o trabalho a que se dedicar só irá melhorar seu futuro na carreira de advogado.

Aprimorando a postura profissional

A teoria aprendida na faculdade de direito não é o mesmo que a prática adquirida durante a atividade de correspondência. Ao assinar um contrato, o contratante é o advogado ou o escritório de advocacia, e o estudante trabalha como terceirizado e essa independência possibilita que ele possa desenvolver sua postura profissional, adquirindo experiência em pontualidade, responsabilidade, oratória e ética, entre outras.

O estudante que não tenha nenhuma vivência de mercado encontra no trabalho de correspondente um aprendizado prático. E esse aprendizado irá fazer toda a diferença quando tiver que atuar como um advogado.

Devemos ainda considerar o fato de que, para qualquer estudante, uma das principais dificuldades é conseguir um rendimento. A renda adquirida na correspondência garante melhor qualidade de vida e mais conforto, permitindo que possa se dedicar com maior dedicação aos estudos.

Dedicando-se ao trabalho na correspondência, em muitos casos, a remuneração pode ser até mais lucrativa do que em qualquer estágio. Além disso, por ser um trabalho sem vínculo empregatício, o estudante pode fazer diversos contratos com diversos clientes.

Atividades que podem ser feitas pelo estudante como correspondente

Mesmo não podendo advogar, o estudante pode fazer muitas atividades, que oferecem grande apoio aos escritórios de advocacia e advogados no trabalho de correspondente. Entre essas atividades, que podem ser feitas sem a carteira da OAB e sem prestar exame na ordem, o estudante poderá:

  • Solicitar cópias de processos;
  • Fazer protocolos;
  • Retirar alvarás;
  • Consultar processos;
  • Elaborar peças processuais sob supervisão de um advogado com OAB;
  • Emitir guias e
  • Verificar andamento de processos nos fóruns.

O trabalho de correspondente pode ser feito juntamente com o estágio, podendo se tornar uma grande oportunidade para o estudante de direito conseguir experiência e maior renda.

O estudante pode ser correspondente jurídico antes do 7° período?

Sabemos que o estudante que está cursando direito, a partir do 7° período, pode conseguir a carteira da OAB como estagiário. Isso possibilita a abertura das primeiras portas em sua futura carreira.

No trabalho de correspondente jurídico, desde que tenha empenho e dedicação, o estudante pode começar até antes do sétimo período. Esta é uma maneira de mostrar a outros advogados seu interesse pela carreira e sua vontade em aprender e conseguir experiência e, diante disso, muitos escritórios de advocacia começam a dar mais atenção ao estudante, considerando que seu interesse denota um futuro promissor.

Atualmente, o mercado nacional de advocacia não está conseguindo absorver a quantidade de profissionais que se formam todos os anos, havendo pouca demanda por parte dos escritórios e de instituições. Isso faz com que o início da carreira de advogado seja muito mais seletivo e, nessa situação, grande parte dos novos advogados nem se preocupam com a carreira, buscando alternativa nos concursos públicos.

O trabalho na correspondência jurídica apresenta-se, desta forma, como uma oportunidade. Obviamente que essa oportunidade é de mais valia para aqueles que querem seguir na carreira de advogado, dedicando-se desde cedo e mostrando ao mercado o seu interesse pela profissão.

Um estudante deve manter seu perfil visível par a ser correspondente

Mesmo com o Código de Ética restringindo o marketing para advogados, é importante destacar-se frente à concorrência. Assim, é fundamental que você possua um perfil visível no Jurídico Certo a fim de manter contato com diversos escritórios, não infringindo, obviamente, o Código de Ética da OAB.

Criando seu perfil, os seus dados podem ser visualizados por qualquer escritório ou advogado que precisa de correspondente para cumprir diligências em sua cidade ou região.

A plataforma possui filtros que exibem resultados por localização, por área de atuação e por avaliações. Depois de ter as primeiras avaliações positivas em seus primeiros contratos, você, certamente, terá a preferência de escritórios que precisam de correspondentes.

Fazendo seu marketing pessoal, certamente você estará entre os primeiros como estudante de direito trabalhando na correspondência jurídica!

9 Comentários


  1. Boa tarde, meu nome é Marilda, li sobre correspondência jurídico e achei muito interessante, me formei em direito em 2016, não tenho a OAB, por enquanto, como faço para participar?

    Responder

  2. Olá, sou recém-formado. Tenho OAB passe na ordem ainda no mono ao décimo periodo. Sou contador de formação desde 2004 é tenho experiências desde então nessa área. Estou mudando de profissãopretendo militante na área jujurídica trabalhista, tributária, previdenciária e empresarial pois são minhas afinidades e nas quais já tenho de certa firma conhecimento e experiências. Gostaria de ser correspondente nestas áreas. Deixo aqui a proposta e meu contato: estou no LinkedIn.

    Responder

  3. Já ouvi falar sobre isso. Bom, eu gostei muito dessa informação. Como faço p/ participar? Vou cursar o quarto período agora.
    Boa tarde!

    Responder

  4. Estou começando o segundo ano no Direto, na faculdade S.Paulo centro velho,
    Pretendo um trabalho na área, correspondente jurídico, agradeço
    Att. José Roberto.

    Responder

  5. Gostei muito da oportunidade oferecida para os estudantes de Direito e gostaria de participar neste aprendizado!

    Responder

  6. Conclui meu curso de direito em Dezembro de 2015 , e já. Tenho um escritório montado para fazer diligências que aparecerem ,pois ainda não passei na prova da Ordem!!!! Gostaria muito de ser útil para os profissionais que necessitarem dos meus trabalhos que são com seriedade , presteza e compromisso

    Responder

    1. Boa noite! Meu nome é Eliane e também me formei em Direito em 2015. Fiz estágio na área trabalhista, no momento não trabalho na área jurídica, mas como sou autônoma tenho flexibilidade em horario e gostaria muito de continuar tendo contato com o mundo jurídico pois ainda não consegui passar na OAB. Como você fez para abrir seu escritório sem a Inscrição da OAB?

      Responder

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *