Vale a pena segmentar os tipos de clientes que desejo atender?

Tempo de leitura: 3 minutos

Diante da concorrência no meio jurídico, o advogado precisa encontrar um diferencial de atendimento, direcionando seu trabalho para novas estratégias de conquista de novos clientes. Assim, segmentar os tipos de clientes pode ser uma ideia interessante.

O marketing jurídico é bastante limitado pelas regras do Código de Ética da OAB e, assim, se torna bastante complicado para o advogado conquistar uma boa carteira de clientes.

A tendência para os escritórios de advocacia é atender todos os clientes que venham procurar e a principal justificativa é de que o escritório precisa atendê-lo para ter como sobreviver. Mas, antes disso, o advogado também deve pensar se poderá fazer o que o cliente precisa, se tem o conhecimento necessário para levar em frente a causa apresentada.

Manter uma segmentação é importante para o escritório, desde que os profissionais tenham conhecimento e condições de fazer o atendimento dos problemas apresentados.

O advogado deve entender, em primeiro lugar, que, ao tentar conquistar um grande número de clientes, poderá não conseguir nenhum. Um cliente que o procura para cuidar de Direito de Família difere de outro que busca aconselhamento sobre Direito Tributário.

Como fazer a segmentação de clientes?

Ao procurar segmentar os tipos de clientes, o advogado deve, antes, avaliar seu próprio conhecimento e suas habilidades. Assim, é necessário manter o foco naquilo que conhece melhor, sabendo onde pode chegar e como pode oferecer ao cliente condições de resolver seu problema.

Evidentemente, o advogado não poderá atender a todos ao mesmo tempo. No entanto, se possui interesse em mais de uma área do Direito, pode buscar especializar-se nessas áreas, criando uma segmentação criteriosa, mostrando sua capacidade sem se deixar levar simplesmente pelo desejo de ganhar dinheiro.

Quando o advogado olha pelos olhos do cliente, irá perceber com mais facilidade essa condição: um cliente, por exemplo, que procura um advogado pela internet e encontra um escritório oferecendo praticamente todas as especialidades, no primeiro momento vai pensar que está vendo um mercado do Direito, onde encontra de tudo no mesmo lugar.

No entanto, se ele encontra um site com algumas especialidades e com detalhes sobre o que o advogado conhece, ele, com certeza, terá mais confiança em procurar esse advogado ou escritório. Terá, assim, mais confiança no profissional que está buscando.

Ao buscar segmentar os clientes, o advogado deve fazer uma análise do mercado e saber os profissionais e escritórios que trabalham na mesma área, conhecer sés concorrentes e saber seus pontos fortes e fracos.

Com esse trabalho de pesquisa, será possível aproveitar oportunidades e oferecer áreas do Direito de uma maneira mais assertiva, atingindo diretamente as necessidades dos clientes nas áreas em que pretende trabalhar.

Áreas correlatas em que ele próprio não tenha o suporte necessário poderão ser agregadas através de parcerias. Afinal, um advogado concorrente também é um colega de profissão e, quando as forças se unem se torna mais fácil atingir qualquer objetivo.

O importante na profissão de advogado é a constante atualização. O profissional, deve estar na busca de uma especialização sem se esquecer, evidentemente, de estudar sobre outras áreas. Conhecimento nunca é demais e, certamente, não ocupa espaço.

Divulgar para segmentar

Ao mesmo tempo, o advogado deve sempre se voltar para a divulgação de seu trabalho, sempre respeitando o Código de Ética que, se não for bem feito, poderá se tornar um obstáculo para o seu trabalho.

O Código de Ética é bastante restritivo com relação às ações de marketing, mas pode ser bem trabalhado através de estratégias que podem ser aplicadas para conquistar clientes agindo dentro da legalidade.

Uma das formas mais práticas de segmentar a área de atuação e conquistar maior número de clientes é aplicando o marketing de conteúdo, divulgando artigos e conteúdo informativo nas redes sociais, oferecendo conhecimento ao público, atraindo pessoas com informações que lhes sejam úteis e mostrando que, como advogado, você pode oferecer a melhor prestação de serviços.

2 Comentários


  1. Diria que o que o Código de Etica restringe é a publicidade, e não propriamente o marketing, até porque são diferentes, haja visto que profissionais se formam em publicidade e propaganda ou em marketing. Assim, não há de se confundir.

    Responder

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *