Será que você é um advogado chato? Descubra

Tempo de leitura: 2 minutos

Saber se você é um advogado chato, ou não, é algo que exige um pouco de autocrítica, depois de uma análise bem aprofundada de suas atitudes. Pode ser um pouco complicado quando você coloca à frente de uma autoanálise todos os seus conceitos, mas, se conseguir limpar sua visão e analisar friamente como se comporta.

Um dos momentos em que um advogado se torna um chato é quando usa palavras difíceis e complicadas para mostrar conhecimento, mantendo um ar de superioridade para com o que considera “comuns dos mortais”. Ao demonstrar arrogância está apenas demonstrando que busca autoafirmação e consegue contrair um grande mal que ronda a profissão de advogado, a doença conhecida como advogatite, um problema que pode prejudicar a carreira de muitos advogados.

Para não se tornar um advogado chato é necessário apenas que o advogado se conheça muito bem, saiba onde pode chegar e busque estar sempre atualizado com o que sua profissão exige. A síndrome de se mostrar melhor do que os companheiros de profissão pode passar ao largo, sem interferir na carreira e sem criar uma redoma em torno de sua personalidade.

O advogado, antes de tudo, formou-se em sua profissão para defender pessoas e não para mostrar-se superior e isolado. Mostrar-se solidário e igual aos outros não é apenas uma necessidade para qualquer pessoa em qualquer profissão, é uma obrigação que temos com nossos semelhantes, que precisam enxergar um advogado como quem vê um amigo próximo, uma pessoa em quem possa confiar e não alguém que se mostre superior e dono da situação.

Ao se mostrar um chato, o advogado só irá conseguir uma coisa para sua carreira: perder clientes. E perder clientes, no mercado atual, é dar um tiro no próprio pé, é atrasar o desenvolvimento de sua profissão, é criar isolamento daqueles para os quais o advogado tanto estudou e tanto se empenhou.

Para não ser um advogado chato, basta manter os clientes com as informações que precisam, falando na linguagem que eles possam entender e, quando você, como advogado, precisar mostrar seu conhecimento, seja claro, lógico e firme nas posições que toma, mesmo usando palavras simples. Afinal, a comunicação é feita em via de mão dupla.

E aí? Se identificou em algo? Tem mais dicas? Compartilhe conosco.

Descubra também se você é um advogado moderno.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *