5 coisas que só quem trabalha com correspondência jurídica sabe

Tempo de leitura: 2 minutos

Um correspondente jurídico, em princípio, sabe que precisa conhecer alguns pontos reservados a essa atividade que não são costumeiros de qualquer outro advogado em qualquer área de especialização.

Atualmente encontramos no mercado um grande número de advogados recém-saídos da faculdade que atuam como correspondente jurídico, atendendo solicitações de escritórios de advocacia de outras comarcas, muitas vezes de regiões bem distantes, possibilitando o bom andamento dos processos e buscando agilizar os meios de se fazer justiça.

Ao correspondente não basta apenas saber os serviços específicos de sua atividade, como protocolar petições, fazer o acompanhamento de audiência e de processos ou conhecer a legislação.

Atitudes como competência, confiança, prática na atividade, responsabilidade e pontualidade são características essenciais para sua atuação, mas, além disso tudo, o bom correspondente jurídico sabe algumas coisas para se manter em sua atividade:

1. O correspondente jurídico sabe se apresentar

Mesmo trabalhando à distância, a apresentação é algo básico para o correspondente jurídico. O escritório contratante precisa ter a certeza de que seu contratado saberá sempre se apresentar de forma digna e respeitável, atendendo as necessidades da causa em que está trabalhando.

2. O correspondente jurídico sabe tratar bem o cliente

O comportamento do correspondente jurídico e seu tratamento com o cliente são pontos que merecem destaque na atividade, passando a certeza aos contratantes de que estão com o profissional mais acertado para o trabalho delegado.

3. O correspondente jurídico está sempre dentro da legalidade

Para executar suas tarefas com fidedignidade, o correspondente jurídico está sempre munido dos documentos necessários para as causas processuais em que está trabalhando, podendo a qualquer momento atender às necessidades exigidas pelos processos.

4. O correspondente jurídico sabe precificar

Um dos maiores problemas enfrentados na atividade de correspondente jurídico é a precificação, havendo inúmeras reclamações sobre aviltamento da profissão. O bom correspondente jurídico é aquele que sabe dar o preço certo para cada trabalho, passando respeito pela atividade escolhida.

5. O correspondente jurídico sabe se organizar

Manter a organização em suas atividades é criar condições para que os clientes sejam bem atendidos e o correspondente jurídico, para fazer bem o seu trabalho, deve saber também manter sua organização.

LEIA MAIS: 5 competências que um líder no setor jurídico precisa ter

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *