Me formei em Direito. E agora?

Tempo de leitura: 4 minutos

Um profissional formado em Direito possui um amplo leque de possibilidades. As chances de desenvolver um bom trabalho e de se tornar reconhecido no meio jurídico são grandes.

Após aprovação no exame da OAB, ele pode procurar cargos públicos, como juiz ou promotor. Obviamente, também pode se dedicar à atividade da advocacia, especializando-se em alguma área específica, que é, certamente, a melhor situação para os dias atuais.

Devemos notar, entretanto, que não é assim tão fácil definir o futuro e conseguir uma carreira de sucesso. É sempre necessário considerar alguns pontos básicos, se é que, durante a faculdade, o recém-formado advogado não pensou nisso.

O momento da formatura, ao mesmo tempo em que traz a grande felicidade de se ver formado, também apresenta a realidade tal qual é, ou seja, o começo de uma jornada que se mostra bastante difícil. O mercado está saturado, o país está em crise e é preciso encontrar um lugar ao sol.

Para começar na nova carreira e mostrar sua capacidade de trabalho, bem como encontrar sua área de especialização, evidentemente, o novo advogado vai precisar pensar em alguns fatores. Confira a seguir:

1. Encontrar uma área onde atuar

A área de atuação do novo advogado é que vai definir o caminho que ele deve tomar para alcançar sucesso na carreira. Existem áreas que serão mais solicitadas nos próximos anos e é exatamente nisso que o novo advogado deve pensar.

2. Saber lidar com a concorrência

Como todo advogado recém-formado sabe, o mercado do Direito está bastante saturado. É claro que, dentre tantos bacharéis formados, boa parte não vai exercer a profissão, mas sempre é bom conhecer e saber lidar com a concorrência.

Este é um momento em que o novo advogado deve pensar em conseguir bons clientes. Entretanto, isso deve ser feito sem aviltar os honorários, respeitando o próprio trabalho e o trabalho de seus concorrentes.

Qualquer atividade que o advogado tenha exige um grande trabalho, geralmente envolvendo estudos de casos, pesquisas de jurisprudência, além de elaboração de petições e de participação em audiências. Depois disso, deverá fazer o acompanhamento do processo e atender às diversas diligências.

Aqui é o momento de pensar que, se cobrar barato pelos serviços, poderá até ter mais clientes para se manter. No entanto, quanto mais clientes tiver, menos tempo poderá dedicar a cada um deles.

O cliente não vai se preocupar se o novo advogado cobrou barato demais: ele vai exigir um trabalho de qualidade, com bons resultados.

3. Uma possibilidade é arrumar um emprego

Veja isso apenas como uma possibilidade de se manter no começo da carreira. O novo advogado pode procurar um emprego num escritório de advocacia ou poderá optar por abrir o seu próprio escritório.

É claro que a primeira situação pode ser mais prática, quando não há dinheiro para investir num escritório e quando existe um bom planejamento mental para o futuro. Um trabalho em escritório de advocacia poderá ser o respaldo para montar o próprio escritório no futuro.

LEIA MAIS: Como a correspondência jurídica pode se tornar seu primeiro emprego

4. Sempre crescer profissionalmente

Um advogado deve pensar que seus estudos não se encerraram com o final do curso de Direito. Além das pesquisas sobre o trabalho, é necessário sempre continuar estudando para crescer profissionalmente.

Existem muitas maneiras de fazer isso, desde acompanhando a legislação e suas alterações até fazendo cursos em instituições de ensino. O importante é nunca parar de estudar, nunca deixar passar o tempo sem novas leituras.

Além disso, também é importante sempre visitar os sites dos tribunais, principalmente aqueles onde atual, e manter em dia o conhecimento sobre jurisprudência, já que esta é uma das melhores fontes de argumentação.

5. Manter-se sempre pronto e preparado

O advogado deve sempre estar pronto e preparado para o atendimento de seus clientes e isso deve ser feito sempre com a rapidez exigida pela profissão. Assim, é indispensável manter todas as ferramentas necessárias para o bom desempenho de suas funções, mantendo um programa informatizado com toda espécie de documentos exigidos pela Justiça e usando o próprio tempo para dar atenção ao cliente.

Resta saber, ao final, que um novo advogado tem o caminho longo pela frente e que o começo de qualquer carreira não é fácil ou simples. É um trabalho envolvente fascinante, que tem a facilidade de viciar de forma favorável o profissional.

O melhor a ser feito depois de formado é manter a energia em alta, fazer os planos para o futuro e começar a concretiza-los. Por isso, é de suma importância estabelecer metas que sejam alcançáveis, que possam ser realizadas dentro do tempo estipulado.

Com isso, o novo advogado vai ganhar a experiência necessária para ser um profissional de respeito, aquele que pela simples presença garante ao cliente um caso bem resolvido!

2 Comentários


  1. gostei da matéria, muito animadora para quem ainda esta em curso e almeja algo brilhante para seu futuro.

    Responder

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *