Como funciona o Exame da OAB: guia definitivo

Tempo de leitura: 4 minutos

A OAB – Ordem dos Advogados do Brasil é o órgão responsável pela disciplina, ética e orientação dos advogados e, para exercer a profissão, um bacharel em Direito deve passar no exame da ordem e manter sua inscrição na entidade regular.

O Estatuto da OAB, promulgado pela Lei n° 8.906/94, estabelece os requisitos para que bacharéis em Direito se inscrevam nos quadros da entidade e um dos requisitos é a aprovação no denominado Exame.

O Exame da Ordem é aplicado em torno de três vezes por ano para todos os bacharéis em Direito, tendo como principal objetivo aferir a capacitação necessária para que o formado em direito possa exercer a sua profissão na advocacia.

Entenda o Exame da OAB

O Exame da OAB é dividido em duas fases, sendo ambas de caráter eliminatório. A primeira fase é a prova objetiva, que possui cerca de 80 questões sobre os temas abordados em todas as disciplinas obrigatórias dos cursos de Direito.

Para os bacharéis, a prova objetiva exige revisar todos os conteúdos estudados ao longo de sua graduação, já que são apresentadas questões sobre todas as matérias.

É importante que o candidato se prepare com antecedência, inclusive fazendo um curso específico sobre o Exame da Ordem, no caso de possuir alguma dificuldade em qualquer matéria. Não adianta, para o candidato, utilizar apenas alguns dias para tentar rever todo o conteúdo, principalmente quando está fazendo o Exame pela primeira vez.

Matérias da prova objetiva do Exame da OAB

Segundo as análises feitas por advogados e por orientadores de cursos sobre o exame da Ordem, as últimas provas apresentaram as seguintes quantidades de perguntas sobre as disciplinas:

  • Ética: 10 questões
  • Filosofia do Direito: 2 questões
  • Direito Constitucional: 7 questões
  • Direitos Humanos: 3 questões
  • Direito Internacional: 2 questões
  • Direito Tributário: 4 questões
  • Direito Administrativo: 6 questões
  • Direito Ambiental: 2 questões
  • Direito Civil: 7 questões
  • Estatuto da Criança e do Adolescente: 2 questões
  • Direito do Consumidor: 2 questões
  • Direito Empresarial: 5 questões
  • Processo Civil: 6 questões
  • Direito Penal: 6 questões
  • Processo Penal:; 5 questões
  • Direito do Trabalho: 6 questões
  • Processo do Trabalho: 5 questões

Para conseguir um ritmo de estudos coerente e poder revisar todas as matérias, o candidato deve estudar pelo menos quatro disciplinas por semana.

Na prova objetiva, o candidato não pode utilizar qualquer material de consulta, sendo aprovados todos os candidatos que atingirem o mínimo de 50% de acertos nas questões válidas.

Assim, é importante que o candidato tenha um período de estudos e de revisão adequado, analisando todas as disciplinas estudadas durante o curso para conseguir aprovação.

Segunda fase: prova prático-profissional

A prova da segunda fase, denominada prova prático-profissional, tem um valor de 10 pontos, sendo aplicada apenas aos candidatos aprovados na primeira fase.

A prova é composta de duas partes distintas, contemplando a área de opção do candidato, escolhida no ato de inscrição, podendo ser as seguintes áreas: Direito Administrativo, Direito Civil, Direito Constitucional, Direito Empresarial, Direito Penal, Direito do Trabalho ou Direito Tributário.

A prova possui conteúdo acompanhado de seus correspondentes direitos processuais.

Na primeira parte da prova da segunda fase, os candidatos devem fazer a redação de uma peça profissional privativa de advogados, como uma petição ou um parecer, com a validade de 5 pontos.

Na segunda parte, o candidato deverá responder quatro questões práticas sob a forma de situações-problema.

Uma das recomendações dos especialistas em Exames da Ordem é que o candidato dê especial atenção à leitura do Código de Ética e Disciplina da OAB e que faça o máximo possível de simulados.

A resolução de simulados é fundamental para conseguir aprovação, já que, além de servir como comparativo para analisar os próprios conhecimentos, o candidato irá fazer a prova sob as mesmas condições que irá enfrentar do dia do exame, servindo como treino e como meio de manter o controle emocional.

O simulado, além disso, também é um meio de medir o tempo que o candidato leva para responder todas as questões, podendo se adequar ao tempo real da prova.

Para candidatos que não estejam fazendo algum curso preparatório, a internet apresenta os simulados dos últimos exames, que podem ser baixados para uso.

Os especialistas em exames da OAB aconselham que o candidato não perca a calma e que não tentem aprender conceitos que não estudaram. O melhor é fazer a revisão e treinar o raciocínio para o estilo da prova.

Na prova prático-profissional, o candidato terá permissão para consultar apenas a legislação, sem qualquer comentário ou anotação, referente à sua área de opção. A nota exigida para aprovação na segunda fase deve ser igual ou superior a 6 pontos.

Se não conseguir ser aprovado, não desanime! Confira aqui algumas dicas para tentar melhor sorte na próxima.

23 Comentários


  1. o exame é covarde e cruel – OAB E FGV MANIPULA O MERCADO SÓ NÃO VER QUEM NÃO QUER.
    OBS: FIZ O EXAME E PASSEI, MAS, NÃO ME SINTO MELHOR DOS QUE NÃO PASSARAM. ESSE É O MAU DO SERES HUMANOS, EU CONSEGUIR, QUE SE LASQUE O RESTANTE.
    Enfim, gostaria de deixar registrado aos amigos que ainda não passaram, concentração porque a prova é maldosa e não avalia conhecimento. SIMPLES ASSIM!!!!!

    Responder

    1. amigo, se você, que nãos abe escrever corretamente na sua língua de origem, passou, é sinal de que a prova não é tão covarde assim…

      Responder

      1. Concordo plenamente. Se com esse português o cara passou, a prova deve ser bem fraquinha.

        Responder

      2. verdade….! Muito me admiro sou estudante do ensino médio pretendo fazer direito, e vejo o cometário muito hostil de um futuro advogado ,que passou na (OAB) . OBS: não ha nada dificil onde ha esforço.!

        Responder

        1. verdade….! Muito me admiro sou estudante do ensino médio pretendo fazer direito, e vejo o cometário muito hostil de um futuro advogado ,que passou na (OAB) . OBS: não ha nada dificil onde ha esforço.!
          SIM!

          Responder

    2. diante dos comentários, triste ver a realidade dos advogados já aprovados na prova da ordem.
      Acredito que deveria ser adicionada a disciplina de Português também.

      Responder

  2. Não sou Advogada,más não concordo que o Advogado é obrigado á fazer curso para exercer a função,uma vez que os medicos se forma e vai direto exercer a função e ele vai mecher com vidas,fazer cirurgia pega o diploma e vai atuar já direto com bisturi cortando o ser humano, já é DOUOTRES e os AVOGADOS SÓ É BACHAREL,sei ele faz residencia más na pratica.
    Pq o Advogado não estuda cinco anos não vai colocar a vida de ninguem em risco e é obrigatorio prestar curso da O A B .Sinceramente eu acho isso totalmente errado é apenas uma forma de tirar dinheiro dos coitados que fica até sem comer para pagar a faculdade.E depois ainda tem essa enganção.quero que alquem me prove q fazendo este curso o candidato vair ser um bom Advogado.ele só vai aprender na pratica ,exatamente como os medicos e eles não vai correr o risco de matar alguem.Más creio q isso vai acabar. esta com os dias contados.

    Responder

    1. Querida amiga virtual, sou Estudante de Direito respeito seu ponto de vista sobre exame que se refere e também quando relata sobre a questão medica, mais pensa comigo. Uma mãe de família que é violentada irá querer vê ló individuo na prisão, Então nada melhor esta preparado para fazer justiça, sendo assim é necessário fazer exame de ordem.
      Sobre a questão medica eles passam, mais tempo para estudar em período integral, também e prestado provas para atual em sua Profissão, Assim também somos nos Estudantes de Direito, temos que rever novamente todo conteúdo para sair e fazer justiça com coerência

      Responder

    2. Sou bacharel em direito e concordo com vc.
      Realmente passei fome pra pagar meu curso, ainda nao tenho a carteira, estou sem trabalho.
      Mas conclui, infelizmente varias pessoas nao conseguem concluir.

      Responder

      1. essa prova da ordem precisa ter um fim acho uma covardia ,meu esposo já esta desaminado ,médicos lidam com vidas e não precisam provar pra A mais B que sabe nada e revoltante ou então que seja uma prova justa e não um meio de arrecadarem dinheiro .

        Responder

    3. Estou no último ano de direito, e já passei na primeira fase do exame da ordem, mas desde o primeiro ano sempre fui a favor do exame da ordem. O ensino jurídico no País tem sido banalizado cada dia mais pelos políticos e seus ministérios (MEC) e o lobby do empresariado da educação, abrindo de maneira desregrada “Faculdades de Direito”. Sendo assim, para entrar na faculdade de direito qualquer pessoa entra, então a saída é restringir a prática da má advocacia (imperícia) com o exame da ordem.
      Acrescento que, o curso de medicina deveria também ter um exame parecido ao final , como já vem sendo aplicado (apenas para caráter estatístico, por enquanto) pelo Cremesp em SP.
      Enfim, acredito que a medida não é abrir as “porteiras” e sim restringir, começando pelo MEC e suas aberturas de cursos, como fez recentemente autorizando a abertura de Curso superior para tecnólogo em serviços jurídicos.

      Responder

    4. Querida, os médicos para serem médicos precisam ter o C.R.M., assim como o advogado precisa ter a carteira da O.A.B.
      A diferença é somente a área de atuação, mas, as duas mostram realmente se o cidadão está apto a exercer sua função como um profissional de qualidade.
      Passar bem <3

      Responder

      1. Eu descordo e acho um absurdo porque medico não precisa de prova só pagar o conselho e já tentaram implantar a prova e não deu certo quase todos foram reprovados, deu até no fantástico por tanto eu acho injusto meu esposo estuda muito e não consegue passar, desta vez ainda mexeram nas questões muito injusto ,só leiga mais o que vejo e ouço sobre esta prova e revoltante

        Responder

    5. Para isso tem a residencia os testes com profissional de longas datas na área, ajuda o futuro medico a exerce.

      Responder

  3. Fui informada que estando no 4°ano do curso de Direito poderei já prestar a prova da OAB!!isso é verídico ??

    Responder

    1. Não a informaram errado, você pode sim realizar a prova porém só em caráter treineiro, ou seja, mesmo que você consiga a pontuação exigida não conseguirá a aprovação da OAB. Sendo possível a aprovação somente a partir do 9º semestre, desde que você esteja devidamente matriculada.

      Responder

    2. Pode sim. Vc tem um ano para se inscrever na seccional desejada. Só não pode perder esse prazo.

      Responder

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *