Stress e Advocacia

Por | 2015-01-27T20:15:29+00:00 27 de janeiro de 2015|

Realmente o cotidiano do advogado é estressante. Grande volume de processos, ligações de clientes a qualquer hora do dia, prazos processuais e constante atualização do conhecimento. Esses são alguns dos fatores que contribuem para a advocacia estar intimamente conectada a um stress rotineiro, caso não sejam tomados certos cuidados para evitar o mesmo.

O dia a dia do advogado definitivamente não é fácil. Já nos primeiros anos de escritório tem de se dedicar exaustivamente para ganhar nome no mercado, sabendo que frente ao grande número de ações ajuizadas e a morosidade processual, apenas no segundo ano de atividade começará a entrar dinheiro no caixa. Portanto, tem que aguentar as despesas de escritório por muito tempo sem receber qualquer valor, gerando insegurança em muitos profissionais. Fator esse que define a permanência ou não no mercado de inúmeros escritórios de advocacia.

Além disso, dedica-se enormemente na finalidade de alcançar o direito do seu cliente, prestando um serviço de qualidade para atingir as expectativas de quem o contratou, bem como a sua, haja vista o sucesso gratificante com o ganho de causa.

Logicamente, que nem sempre os pedidos serão julgados como procedentes e talvez o profissional perca muitas ações. Não bastasse a infelicidade com a improcedência, o advogado também deve prestar esclarecimentos aos seus clientes. Tarefa na maioria das vezes desagradável e estressante.

Outro fator determinante para o stress é a falta de organização dentro do próprio escritório. Existem situações que o advogado empregado fica sobrecarregado com a grande carga de trabalho. Dessa maneira, o resultado provavelmente não será um dos melhores, causando ainda mais stress com o advogado contratante e no seu cliente. Ou seja, uma reação em cadeia.

Essas situações acumuladas ao longo do tempo vão desgastando a saúde do advogado e a sua qualidade de vida vai piorando na medida em que os dias passam. Resultado: saúde debilitada, profissional frustrado e infeliz com a sua profissão, além do risco de não desfrutar do melhor da vida em virtude de apenas pensar em trabalho e dinheiro.

Muitas vezes o stress passa até despercebido, parecendo ser normal para o advogado, dando a entender que não o prejudicará futuramente. Todavia, esse mal invisível e silencioso vai tomando conta do profissional, resultando, muitas vezes, em uma grave doença.

Por isso busque se organizar e tenha tempo para tudo. Dedique seu tempo ao trabalho, se entregue realmente a sua profissão, profissão que você ama e sente prazer em exercê-la. Contudo, não se esqueça de que existem outras coisas que você adora fazer, bem como pessoas que você ama e que talvez você não perceba a importância delas quando está apenas focado no trabalho. Às vezes você vai perceber o valor e a importância de muitos amigos e da sua própria família no momento em que você notar que já não as possui mais.

Busque seus amigos com mais frequência. Dedique um tempo maior à sua família. Tente manter uma rotina diária de qualquer atividade física. Durma bem. Alimente-se bem. Tenha uma vida saudável!

Com toda a certeza você notará a diferença nisso no seu trabalho, culminando em uma dedicação e produção ainda maiores!

Obviamente que o advogado possui muitas responsabilidades. Ele (você) sabe disso. Porém, parece que muitos profissionais se preocupam tanto com a vida de seus clientes e dos problemas que precisam ser sanados que acabam se esquecendo da própria vida. Acabam se esquecendo de que a vida está acontecendo enquanto estão preocupados com outras coisas, sem se importar com a sua pessoa e quando dão conta, a vida passou em um piscar de olhos.

O artigo não tem o propósito de levar você a crer que não deva dedicar-se tanto ao trabalho. Pelo contrário, pretendemos demonstrar que com uma qualidade de vida, o seu trabalho também será melhor e mais eficaz. Além disso, queremos lembrar que no fim das contas, o que importa são os momentos mais simples da vida e de estar perto de quem a gente ama. Nunca se esqueçam disso!

E você, anda estressado? Comente abaixo o que mais te estressa na advocacia.

Até o próximo artigo.