Há conflitos de gerações nos escritórios de advocacia?

Por | 2018-06-06T15:36:25+00:00 6 de junho de 2018|

Conflitos de gerações podem ser encontrados em todos os ambientes, desde os mais pessoais aos profissionais. Cada geração apresenta algumas especificidades, estabelecidas pelo seu crescimento e desenvolvimento em consonância com as novas tecnologias. E, nos últimos anos, a evolução tecnológica conseguiu uma rapidez espantosa, causando grande impacto na vida de todos e fazendo com que as gerações apresentassem comportamentos cada vez mais diferentes.

As novas tecnologias influenciando nas gerações

O conflito de gerações em ambientes empresariais começou a ser mais discutido entre os denominados Baby Boomers, composta pelos nascidos nas décadas de 1940 e 1950, após a Segunda Grande Guerra, que chegaram ao mercado de trabalho nas décadas de 1960 e 1970. Essa geração buscava estabilidade no emprego, sendo formada por profissionais que vestiam a camisa da empresa, buscando garantir sua ascensão profissional, esperando que continuassem no mesmo escritório e se aposentassem para gozar os benefícios de uma boa carreira.

O tempo avançou e o conflito de gerações continuou com a Geração X, composta pelos nascidos nas décadas de 1960 e 1970 e que chegaram ao mercado nas décadas de 1980 e 1990. Essa geração se mostrou mais individualista e competitiva, buscando rápida ascensão profissional, acreditando que a meritocracia os levaria a melhores postos de trabalho. A Geração X sempre buscou se destacar no meio da multidão, procurando manter uma sólida formação acadêmica e se especializar cada vez mais. Seus profissionais sempre estão preocupados com a aparência e com o status profissional. Além disso, foi essa a geração que estabeleceu os happy hours, utilizando os encontros depois do trabalho para continuar com os negócios e fazer novos contatos, ou seja, é uma geração workaholic.

Como não bastasse já haver grande diferença entre essas duas gerações, provocando muitos conflitos, chega ao mercado a Geração Y, composta pelos nascidos nas décadas de 1980 e 1990, chegando ao mercado de trabalho no início do século 21. É uma geração que demonstra capacidade para fazer diversas coisas ao mesmo tempo e mantém a vontade de experimentar novidades, resultando em maior desejo de ascensão profissional. Acompanhando a rapidez da evolução tecnológica, a Geração Y tem buscado a inovação constante, inclusive com mudança de emprego de tempos em tempos e até mesmo de carreira. 

Essa nova mentalidade veio trazer um grande número de cisões para os escritórios de advocacia, gerando novas sociedades, geralmente formadas por profissionais mais novos e que buscam desafios diferentes. Quando o profissional continua no mesmo escritório que profissionais mais experientes, o conflito de gerações pode ser minimizado, desde que os mais velhos procurem conhecer a forma como essas novas gerações enxergam o mundo, fazendo com que se possa aproveitar o que de melhor possam oferecer.

Os conflitos de gerações podem ser minimizados quando a Geração X trabalha em prol dos profissionais menos experientes, encarregando-os de tarefas que atraiam sua atenção, como a estruturação de novos departamentos, a busca de novas áreas do Direito, tão necessárias diante das novas tecnologias e da globalização, como é o caso de Compliance e Trading Marketing.

Para advogados de gerações anteriores, que trazem acumulada maior experiência em suas carreiras, o conflito de gerações pode ser totalmente eliminado desde que mantenham os mais jovens focados e interessados naquilo que eles, como mais velhos, sempre buscaram: manter sua atualização constante, tornando-se referência no mercado jurídico.