Saiba como proceder em caso de saque indevido da sua conta corrente

Tempo de leitura: 3 minutos

Se você tirar um extrato de sua conta bancária e notar que sumiu algum valor, não precisa entrar em pânico.

Mantenha a calma e analise a situação antes de fazer qualquer reclamação ou de descobrir o destino tomado por seu dinheiro em mãos estranhas.

Seu primeiro passo ao notar que é sacado indevidamente dinheiro na sua conta é verificar o extrato para saber quando e qual é a identificação da retirada do valor desaparecido.

Isso pode ser feito, inclusive, pelo internet banking (e, se você ainda não tem o seu cadastro no internet banking, procure fazê-lo para facilitar sua vida e o controle de sua conta).

Se o débito não está identificado e o dinheiro realmente desapareceu, é necessário entrar em contato com o gerente de sua conta. Se o débito está identificado, é necessário ter mais informações sobre o valor que desapareceu.

Procurando saber onde foi o dinheiro sacado indevidamente

Para garantia de sua reclamação, em primeiro lugar, verifique se fez algum uso do seu cartão ou se agendou algum débito para o dia do sumiço de seu dinheiro, buscando em seus registros e tendo a certeza de que não tenha feito algo de que se esqueceu.

Se mais alguém de sua família usa o cartão da sua conta bancária, converse com essa pessoa e verifique se alguém usou algum valor sem lhe avisar.

Depois de esgotar todas as possibilidades, ligue para a Central de Atendimento do seu cartão e identifique a transação feita no dia do desaparecimento do dinheiro.

Se você constatar que não foi uma transação autorizada ou feita por você, faça a comunicação de indício de fraude e depois entre em contato com seu gerente para pleitear o estorno do valor desaparecido.

Alguns casos de saque indevido na conta corrente ou de sumiço de valores podem ser diferentes, envolvendo, por exemplo, uma fraude online, o que torna o assunto mais sério, uma vez que pode ter havido a clonagem do seu cartão e o roubo de sua senha.

Independente do que tenha ocorrido, sempre é necessário procurar o gerente, embora, no caso de cartão clonado seja necessário fazer o registro de boletim de ocorrência, depois que o gerente constatar a fraude.

Leia também:

Os principais direitos do consumidor relacionados ao mercado alimentício

As principais reclamações de consumidores no Brasil

Em determinados casos, o próprio gerente é quem deve abrir a investigação para saber a origem da ordem de débito ou de saque em sua conta. E o banco deve devolver o que foi subtraído, já que ele é o responsável pelo dinheiro que você tem em conta.

O banco é responsável pelo dinheiro que você tem em conta

Essa regra é básica: você depositou o dinheiro ou recebeu de outras pessoas e o banco é o responsável pelos valores.

Contudo, para ter o dinheiro de volta, é necessário, algumas vezes, enfrentar um processo bastante burocrático

Para evitar complicações, o próprio Ministério Público possui uma liminar, válida para todo o país, obrigando a Caixa Econômica a devolver, em até 5 dias úteis, valores sacados indevidamente da conta do correntista.

A liminar se refere a um processo movido contra a Caixa, mas abre as portas para que todos os bancos também tenham o mesmo prazo.

A liminar pode ser considerada um avanço nos direitos do consumidor, dando maior tranquilidade ao correntista vitima de saque indevido ou de fraude, já que, normalmente, os bancos levam mais de 30 dias para reconhecer qualquer tipo de erro e para fazer a devolução.

O banco, certamente, irá resolver seu problema de saque indevido em sua conta ou de débito não autorizado, já que você pode denunciá-lo e acionar o Procon e a própria Justiça para reaver seu dinheiro.

Contudo, lembre-se que você precisa ter todas as provas de que não foi você quem fez a retirada ou de que não autorizou qualquer débito.

4 Comentários


  1. No mês de junho de 1994, o Banco do Nordeste do Brasil S/A, agência de Santo Antônio de Jesus(BA.), retirou de minha conta corrente a quantia de CR$55.000.000,00(CINQUENTA E CINCO MILHÕES DE CRUZEIROS REAIS) e colocou no extrato gráfico da conta corrente que comprou títulos do próprio BNB. Nunca mais vi a cor do meu dinheiro furtado, nem os títulos adquiridos com ele. Exarei todas as providências jurídicas. O Tribunal de Justiça da Bahia determinou que o BNB devolvesse o meu dinheiro que foi surrupiado, ele não obedeceu. Ajuizei nova ação contra o BNB e um juiz, de forma inacreditável, julgou a ação favorável ao BNB entendendo que ele o BNB não praticou nenhum ato ilícito. A minha fazenda está na hipoteca e penhora, fiquei sem crédito rural até a presente data. Não tenho a quem mais apelar. Peço ajuda a quem poderá fazê-lo para reaver o meu dinheiro . Antônio Ferreira Leal – Adv. OAB(BA.) 5903

    Responder

  2. é mais eu levei 11 dias para receber o dinheiro que foi roubado na CEF mesmo. Absurdo! E acho que posso dar graças à Deus por ter conseguido receber!

    Responder

  3. Em um feriado, dia 01 de Maio de 2012 foi feito um saque na conta da empresa, de R$ 550,00 quando o saldo era pouco mais de R$ 20,00 e não havia cheque especial ou limite pre-aprovado.
    Fiz mais de 10 reclamações, Ouvidoria do banco e no proprio Banco Central. Nada, só respostas evasivas e não me deram as imagens que solicitei.
    Todos sabemos que é impossivel sacar acima do saldo ( se não há limite pre-contratado ) em um caixa eletronico e em feriado.
    Caso haja um advogado disposto a processar o banco em troca de resultado, podem me contactar
    Grato

    Responder

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *