Quais as características deve ter um advogado correspondente?

Por | 2014-12-04T12:32:45+00:00 4 de dezembro de 2014|

A correspondência jurídica, assim como em qualquer ramo de prestação de serviço, exige certas características por parte de seus correspondentes, as quais serão abordadas nesse artigo.

1 – Qualificação:

O mínimo que se espera de um correspondente jurídico é o conhecimento necessário para prestar um serviço de qualidade, por isso, ele deve estar muito bem instruído, isso fará a diferença.

Através de uma melhor qualificação, o correspondente jurídico será bem visto pelo escritório contratante, haja vista que um curriculum qualificado sempre chama a
atenção e desperta o interesse nos seus serviços. Quanto mais qualificado, mais requisitado será!

2 – Responsabilidade:

Uma vez contratado, cumpra exatamente o que lhe foi diligenciado. A irresponsabilidade vai no caminho contrário ao da correspondência jurídica. Uma dica de vital importância para o correspondente tem relação aos prazos processuais.

Ora, os prazos devem ser cumpridos sem qualquer desculpa, perder um prazo é um grande erro, o que acarretará no desinteresse dos contratantes pelo seu serviço. Portanto, atente-se aos prazos, o cuidado com os prazos processuais é fundamental para o sucesso como correspondente jurídico.

3 – Competência:

O correspondente deve ser competente a ponto de cumprir o que prometeu, no sentido de que ele não pode “abraçar” todas as diligências de um só vez, afinal, essa atitude resultará em uma prestação de serviço deficiente, carecedora de competência, culminando em uma imagem ruim perante as empresas ou escritórios de advocacia contratantes.

4 – Transmitir Segurança:

O profissional deve passar segurança aos contratantes de seus serviços, uma vez que lhe será diligenciado um caso real, ou seja, envolvendo problemas reais. Nesse passo, se o correspondente não transmitir segurança de que exercerá um serviço de maneira adequada, dificilmente voltará a ser contatado para futuras diligências. Demonstrando segurança em seus atos, sua qualidade estará garantida e o número de diligências será maior frente a confiança conquistada.

5 – Empenho e Dedicação:

O correspondente deve ser capaz de dedicar-se intensamente ao trabalho e concentrar esforços para alcançar resultados significativos. O profissional deve ser dedicado na realização da sua atividade, esforçando-se não apenas no intuito de cumprir mais uma diligência, mas sim, esforçando-se a fim de exercitar a vida prática da sua carreira profissional.

6 – Acessibilidade e Boa Comunicação:

De um modo geral, a comunicação para a contratação de serviço com um correspondente jurídico é com certa urgência, portanto, ser acessível tanto pelo telefone, e-mail, Facebook ou até mesmo WhatsApp é de grande valia. Além disso, como a comunicação com os escritórios ou empresas contratantes não serão pessoais, ter um boa comunicação, descomplicada e inteligível, é fundamental.

7 – Ética, Respeito e Educação:

A ética é essencial no mercado de trabalho, sem ela você estará fadado ao fracasso. O correspondente jurídico sempre deve tratar com respeito os seus contratantes e seus clientes, respeito recíproco é fundamental para o sucesso e não deve ser esquecer que a educação é primordial em uma relação social e não apenas de trabalho.

Esperamos que através dessas dicas, o blog possa ter ajudado você que pretende ter sucesso na correspondência jurídica através de uma exemplar prestação de serviços, a qual pode manter o seu sonho de alcançar uma carreira de sucesso na carreira privada ou pública, haja vista que esse meio de trabalho traz um grande aprendizado prático e profissional e ainda possibilita uma grande ajuda financeira para sustentar seu escritório ou bancar seus estudos. Até o próximo artigo!