As maiores reclamações sobre correspondência jurídica e como evitá-las

Por | 2018-03-14T20:43:47+00:00 19 de maio de 2016|

O trabalho de correspondência jurídica tem propiciado oportunidade a muitos advogados iniciantes em todo o Brasil nos últimos anos, principalmente em virtude das facilidades oferecidas pela internet.

A correspondência jurídica facilita o trabalho de muitos escritórios e advogados que, muitas vezes, possuem um grande número de processos, muitos deles em comarcas onde é necessário fazer diligências. O advogado correspondente agiliza os processos, gerando economia para os escritórios contratados pelos clientes e, além de tudo, gerando renda para advogados iniciantes, que precisam não só de experiência em sua atividade e carreira, mas também de dinheiro para a sobrevivência.

Como em todas as atividades profissionais, no entanto, também a correspondência jurídica é alvo de muitas reclamações. A maior parte delas geralmente origina-se nos próprios clientes, quando sabem que um advogado desconhecido dele, cliente, estará tomando conta de um processo importante.

Outras reclamações podem partir dos próprios advogados correspondentes, quando são relegados em favor de outros correspondentes, que cobram honorários mais baratos, muitas vezes bem abaixo da tabela sugerida pela OAB de seu Estado.

Como resolver as reclamações sobre correspondência jurídica?

Com relação à maior reclamação, o cliente, quando sabe que seu processo deverá ser conduzido através da correspondência jurídica, deve ser devidamente esclarecido pelo seu advogado constituído das grandes facilidades que essa atividade pode trazer. Não somente com relação à economia nos custos de diligenciamento do processo, como também com relação ao conhecimento que o advogado correspondente tem de sua comarca e região, possibilitando andamento mais célere às diligências.

Para o cliente, é claro que cabem dúvidas. Afinal, contratou um advogado, com quem pode conversar e tratar todos os assuntos e, devido à necessidade, houve a obrigação de contratar um correspondente. A melhor alternativa, neste caso, é convidar o advogado correspondente e fazer com que ele converse juntamente com o advogado contratado, sendo apresentado o cliente e mostrando que o trabalho que está sendo realizado não é apenas um contato virtual: trata-se de um profissional tão competente quando aquele contratado.

Para a segunda reclamação sobre correspondência jurídica, basta que o advogado contratante prime pela qualidade dos serviços e não só pela economia para o cliente. E este ponto é fundamental para o sucesso de seu próprio trabalho.

Tem alguma dica para evitar reclamações no seu trabalho? Compartilhe aqui conosco.