3 informações que o correspondente deve saber antes de fechar uma demanda

Por | 2018-03-14T20:43:37+00:00 30 de maio de 2016|

Trabalhar como correspondente jurídico, atualmente, mais do que propiciar uma forma de rendimentos, é uma maneira de o advogado ganhar experiência em áreas nas quais comumente não atua. A experiência é importante, principalmente no início de carreira, inferindo que, na área de correspondência jurídica, são os mais jovens que atuam.

Para poder realizar com precisão as atividades exigidas por um processo contratado, o correspondente precisa buscar informações precisas, evitando qualquer tipo de atropelo ou falha durante as suas diligências.

1. Conhecer a fundo o processo antes de fechar contrato

Muitos advogados correspondentes jurídicos já chegaram a fazer audiência sem saber um mínimo sobre o processo, deixando tudo para a última hora. Essa situação é bastante problemática, seja para o contratante, seja para o correspondente, uma vez que, do seu lado, sua reputação está sendo colocada em risco e, para o contratante, o processo pode ter um final inesperado.

2. Assuma o processo como se fosse seu (afinal, ele é mesmo)

Ao assumir uma demanda, o correspondente não pode falhar em audiências, protocolos ou diligências, devendo atuar sempre com sinceridade e presteza para com o contratante. Erros podem acontecer, mas, se ocorrerem, que não seja por culpa do correspondente. Diante disso, a análise do processo torna-se mais importante, já que, diante da possibilidade de qualquer falha, ele, como correspondente, possa alertar o contratante e o cliente.

3. Saber que um contrato é também um risco

Como em qualquer demanda, o correspondente sabe que qualquer processo é um risco, o que faz com que também um contrato feito com um escritório ou empresa de advocacia também passe por esse mesmo risco.

Essa situação demanda que o correspondente tenha plena consciência de cada processo com que esteja atuando nessa função, não assumindo riscos com aqueles que julgar não ser possível trabalhar.

O estudo de processos não é algo que deva ser feito aleatoriamente e, ao ser contratado como correspondente, o advogado deve entender que precisa estar totalmente envolvido, na mesma forma como estaria se estivesse tratando pessoalmente com um cliente seu.

LEIA MAIS: As maiores reclamações sobre correspondência jurídica e como evitá-las