Você sabe como surgiu a correspondência jurídica?

Nos últimos anos, houve uma grande evolução na atividade dos advogados, inclusive pela correspondência jurídica, criando uma nova perspectiva para o trabalho desses profissionais.

A atividade na advocacia não é tão dinâmica como ocorre em outras profissões, principalmente pela morosidade do Judiciário, que não consegue realizar evoluções de maior significância, mas a necessidade trouxe maior dinamismo aos advogados com essa nova função.

Podemos enumerar pelo menos três fatores que levaram ao início e à evolução da correspondência jurídica:

  • A necessidade de intervenção dos advogados em processos de comarcas diferentes;
  • O aumento do número de profissionais no mercado, gerando grande concorrência;
  • A tecnologia, principalmente decorrente da internet, que facilitou essa intervenção.

Como surgiu a correspondência jurídica?

A Constituição Federal, promulgada em 1988, fez com que as demandas judiciais tivessem um aumento extraordinário, aumentando também o trabalho dos advogados. Além disso, a implementação dos Juizados Especiais duplicou o movimento jurídico, além do aumento da quantidade de direitos, como o dano moral, as ações referentes a benefícios previdenciários e a terceirização na Justiça do Trabalho.

Com o acréscimo cada vez maior de profissionais no mercado, houve aumento no número de escritórios, na tamanho das equipes e, também, na complexidade dos trabalhos. Clientes começaram a demandar mais ações, processos se tornaram mais complexos, reformas processuais aumentaram o trabalho dos advogados, com maior número de recursos e incidentes, como agravos e antecipações de tutela, entre outros.

Com a facilidade proporcionada pela internet, os escritórios, que antes agiam apenas localmente, se tornaram regionais, passando a atender em nível nacional e, como consequência, o trabalho que antes não era exigido dos profissionais do Direito em cidades menores e longes dos grandes centros, passou a se tornar necessário.

Os grandes escritórios começaram a solicitar serviços de profissionais de outras comarcas, procurando reduzir os seus custos, possibilitando que um grande número de advogados participasse de processos e procedimentos judiciais e extrajudiciais em suas localidades.

A atividade de correspondência jurídica começou a se firmar, agilizando a condução de processos, reduzindo custos com traslado, alimentação e hospedagem, criando uma nova dinâmica para a profissão e oferecendo serviços à distância.

Tendo começado apenas com o acompanhamento de juntadas e de petições, além de publicações em outros locais, a correspondência jurídica mostrou-se como um novo meio para oferecer melhores serviços aos clientes.

Audiências e despachos, entre outros atos processuais, que eram feitos pelo próprio escritório, oferecia aos correspondentes não mais do que um serviço de acompanhamento e, com sua evolução, a atividade acabou-se tornando uma nova profissão.

A informatização do acompanhamento processual e, por consequência, a necessidade de acompanhamento do processo físico no fórum praticamente todas as semanas, ofereceu ao correspondente jurídico novas atividades, prestando serviços sob demanda a escritórios de outras localidades.

Evidentemente, a atividade do correspondente jurídico não parou de evoluir. Atualmente, o escritório que faz diligências oferece uma grande gama de serviços e essa situação pode ser ainda melhorada, principalmente através de compartilhamento de processos, que podem ser diligenciados, tanto pelo contratante, quanto pelo correspondente.

Hoje já existe algumas plataformas de compartilhamento que permitem estabelecer cronogramas de atividades, possibilitando um trabalho mais rápido na correspondência jurídica. Os aplicativos de comunicação instantânea já permitem videoconferências, inclusive já utilizadas pelo próprio Judiciário e válidas para todas as circunstâncias.

A correspondência jurídica, que nasceu para facilitar a vida de escritórios com processos em comarcas distantes, hoje é um mercado em evolução, atendendo a necessidade de eficiência e de redução de custos, possibilitando resultados mais rápidos para os clientes e buscando reduzir o grande número de processos que antes demandavam tempo e paciência para sua solução final.

By | 2017-11-17T13:13:36+00:00 17 de novembro de 2017|

2 Comments

  1. ANA CRISTINA CASTRO E SILVA 4 de dezembro de 2017 at 20:39 - Reply

    Boa noite!
    Ainda não sei como cobrar cada demanda. Gostaria de ter uma tabela de referência, porque nunca foi chamada para realizà-la!!

    • Jurídico Certo 6 de dezembro de 2017 at 11:33 - Reply

      Bom dia, Ana Cristina! Encaminhamos sua mensagem à nossa equipe de Atendimento, que entrará em contato em breve. Muito obrigado.

Leave A Comment