Gestão de escritório de advocacia: do planejamento à implementação

A gestão de um escritório de advocacia exige duas importantes etapas: planejamento e implementação. O planejamento é a fase que deve ser trabalhada pelos responsáveis pelo escritório, criando metas e meios de curto, médio e longo prazo para atingir os objetivos propostos.

Essa primeira etapa deve ser feita em alguns passos delimitados, considerando todas as variáveis, como podemos analisar a seguir:

1.   Avaliação Geral

Avalie a situação do escritório, o quadro funcional, os recursos disponíveis, as tendências internas e externas e outras questões, como:

  • Os objetivos e planos que orientam o escritório de advocacia no momento;
  • Sua cultura e filosofia;
  • A forma de gestão, organização e administração aplicadas;
  • Os resultados que estão sendo obtidos;
  • As relações entre os advogados, associados ou colaboradores e os critérios utilizados para estabelecer parcerias;
  • A saúde financeira do escritório, a distribuição de lucros e as expectativas de cada um dos associados;
  • A gestão atual em cada setor, a forma como os serviços jurídicos estão sendo oferecidos;
  • Os pontos fortes e fracos do escritório e sua posição no mercado jurídico;
  • Como os clientes percebem o escritório e como estão sendo atendidos;
  • A forma como o escritório está enquadrada no mercado jurídico, as tendências do mercado, a concorrência e o comportamento do público-alvo;
  • Previsão das forças externas que podem afetar o escritório e os clientes.

2.   Análise dos Dados

O segundo passo para o planejamento está baseado na análise SWOT, quando será necessário destacar os fatores internos e externos que afetam o escritório, investigando as seguintes situações:

  • Forças e fraquezas do escritório;
  • Vantagens e desvantagens competitivas;
  • Advogados que atuam em tempo integral;
  • Pessoal administrativo;
  • Fontes de clientes e rendimento obtido com os mesmos nos últimos anos, além das mudanças que afetaram o volume de clientes;
  • Levantamento de tempo não faturado e de contas a receber;
  • Horas faturáveis e não faturáveis;
  • Necessidades do escritório para manter sua sustentabilidade.

3.   Projeção de Objetivos

Agora é importante incluir o levantamento de objetivos que devem ser colocados sobre cada uma das áreas estudadas. Através dessa projeção é possível gerenciar as finanças, a lucratividade e a necessidade de redesenhar os processos internos.

Com a projeção de objetivos também será possível estabelecer a necessidade de investimentos e de especialização dos integrantes e colaboradores para vencer a concorrência, aplicando estratégias para conquistar mais clientes e manter os que já estão na carteira.

Implementação do plano de gestão

Encerrada a fase de planejamento, é necessário fazer a implementação do plano de gestão. Esta, sem dúvida, é a fase mais difícil, sendo importante que seja implementado através da estrutura já existente no escritório de advocacia, utilizando o mesmo pessoal, mas com uma visão diferente, com objetivos claros e definidos.

Para cada objetivo assumido por um advogado ou colaborador, deve haver a responsabilidade individual e em grupo pela implementação, de acordo com um cronograma estabelecido.

Os responsáveis por cada objetivo devem se reportar a um gestor ou a um grupo designado para supervisionar todo o processo de implementação, revendo e avaliando todas as ações para determinar o prosseguimento ou alterações nas estratégias estabelecidas.

Também é importante que todos os envolvidos tenham conhecimento das avaliações e das mudanças necessárias, para que trabalhem em conjunto. O conhecimento de ações corretivas irá permitir alcançar mais facilmente o que ficou estabelecido.

Deve-se ter em mente que a gestão de escritório de advocacia é um processo dinâmico, baseado num plano que deve ser adaptado às condições existentes em cada momento, portanto deve ser refeito periodicamente.

By | 2017-11-16T12:10:30+00:00 16 de novembro de 2017|

Leave A Comment